Home»Cidade»Gripe: “Dia D” tem postos abertos até ao meio-dia

Gripe: “Dia D” tem postos abertos até ao meio-dia

No próximo sábado (4), a cidade também contará com cinco unidades de saúde em plantão até às 16h30

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

No próximo sábado (4), os postos de saúde estarão abertos por conta da Campanha Nacional contra a Gripe Influenza. É o chamado “Dia D”, quando os postos de saúde abrem unicamente para aplicar a vacina naqueles que integram o público-alvo da campanha: idosos (60 anos ou mais), gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias de pós-parto) e crianças de até 5 anos de idade.

A Secretaria Municipal de Saúde optou pela abertura de todos os postos de saúde das 8 horas ao meio-dia. Com isto, cinco unidades terão o horário de atendimento ampliado até às 16h30, são elas: as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do Jardim Ypê II, Zona Norte, Zona Sul, Centro de Saúde e a USF (Unidade de Saúde da Família) do Jardim Fantinato.

De acordo com a enfermeira da VE (Vigilância Epidemiológica), Rosa Maria Pinto, estas unidades são pontos estratégicos porque estão em áreas que atendem aos moradores de todas as regiões. “Assim temos uma unidade para cada região com horário ampliado”, destacou. Em geral, nas campanhas anteriores o período da manhã é o com maior movimento.

Também estão incluídos na lista de público-alvo os policiais civis e militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas, trabalhadores na área da saúde, professores das redes pública e privada, doentes crônicos, funcionários do sistema prisional e população carcerária. No caso dos doentes crônicos, que são portadores de comorbidade (mais de uma doença), é necessária recomendação médica para que recebam a vacina, exceto os que já estão cadastrados.

regiane vacina gripeVale reforçar que a campanha se estende até o dia 31 de maio, com a meta de vacinar 90% do público-alvo. Esta semana com a ampliação do público-alvo, pois os primeiros dias de campanha foram voltados apenas às crianças, gestantes e puérperas, aumentou o movimento nas unidades de saúde. Foi o caso, por exemplo, da USF do Jardim Boa Vista, conforme observa a enfermeira Regiane Gomes de Lima Domingues. “A procura está melhor que o ano passado”, compara com início da campanha de 2018. A enfermeira acredita que o movimento será grande também no “Dia D”, porque, além da clientela da área, a unidade pode imunizar moradores de outros bairros.

Entre as pessoas que compareceram ao posto de saúde nesta semana está a mãe da pequena Maria Clara, oito meses, Regiane Aparecida Sebastião. Ela diz ficar atenta ao calendário vacinal. Quem também não abre mão de imunizar a filha é Elen Cristina Silva Oliveira, mãe de Eloah, cinco anos. “Uma medida de prevenção muito importante. Sou professora de biologia e sempre converso com os meus alunos sobre a importância das vacinas”, diz.
E como também se enquadra no público-alvo, a gestante Juliana Maxin Francieli Pereira, 24, está imunizada. Grávida de três meses, ela conta que também tomou a vacina na primeira gestação, há sete anos. Aos 79 anos, o engenheiro elétrico aposentado Leônidas Rocha Campos Filho também não abre mão da vacina antigripal. “É muito importante, sem dúvida”, comenta.

 

 

Post anterior

Escola recebe apresentação da Banda Santa Terezinha

Próximo post

Equipe Águia conquista bons resultados em Louveira