Home»Cidade»Franco Montoro: mulheres são maioria para prova de Medicina

Franco Montoro: mulheres são maioria para prova de Medicina

Vestibular terá 2,55 candidatos por vaga, considerando a oferta de 60 vagas e o total de 153 inscritos

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O primeiro vestibular de medicina da FMPFM (Faculdade Municipal Professor Franco Montoro) terá 2,55 candidatos por vaga, considerando a oferta de 60 vagas e o total de 153 inscritos. A maioria das inscrições é de mulheres. A Fundação Vunesp, responsável pela aplicação do vestibular, não divulga a cidade ou Estado dos candidatos com forma de preservação da identidade.

As provas serão aplicadas, em única fase, no próximo dia 19, das 14 às 19 horas, no Campus I, que funciona na Feg (Fundação Educacional Guaçuana), entidade mantenedora da “Franco Montoro”. A Fundação Vunesp pediu que a prova fosse aplicada em local próximo de área de alimentação. Neste caso, a escolha da Feg se deu pela proximidade com o shopping.

O diretor administrativo da “Franco Montoro”, Márcio Antônio Ferreira, ressaltou que o número de inscritos superou as expectativas por ser o primeiro vestibular para medicina e também pelo pouco tempo de divulgação, que foi de apenas 60 dias. “Esperávamos dois candidatos por vaga e tivemos quase três”, atenta. Ele observa que o número de inscritos ficou dentro da média de candidatos das instituições municipais do Estado de São Paulo (representadas pela AIMES – Associação das Instituições Municipais de Ensino Superior) têm registrado o índice de 3,4 candidatos por vaga.

Haverá três chamadas para os aprovados no vestibular, caso o número de vagas não seja completado nas duas primeiras convocações. A aula inaugural do curso de medicina está marcada para o dia 14 de fevereiro. O início das aulas será 17 de fevereiro para todos os curso da “Franco Montoro”.

O curso será ministrado no Campus II, no Bairro Cachoeira de Cima. As práticas serão ministradas através da Rede Municipal de Saúde, no Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” e na Santa Casa de Misericórdia de Mogi Guaçu.

Previous post

Outros dois projetos são aprovados pelo Fehidro

Next post

Presas não retornam após saidinha de Natal