Home»Cidade»Febre amarela: Mogi Mirim registra caso suspeito

Febre amarela: Mogi Mirim registra caso suspeito

2
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A causa da morte de um morador da Zona Leste, de Mogi Mirim, está sendo investigada pela possível contaminação com o vírus da febre amarela. O homem  de 42 anos faleceu no último domingo (25) e as autoridades de saúde do município já adotaram todas as medidas necessárias às ações de vigilância.

O homem faleceu na Santa Casa de Mogi Mirim, após ter sido atendido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e removido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O relato é de que o paciente estava com falta de ar, fraqueza e dores.

A confirmação da morte por febre amarela depende de resultado de exame que é realizado pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. O resultado é aguardado para a próxima semana, embora o órgão não tenha previsto uma data diante da grande quantidade de trabalho.

As ações da Secretaria Municipal de Saúde incluem busca ativa (procura por pessoas com sintomas da doença) e a realização de nebulização na região em que o paciente residia. Mas, através da assessoria de imprensa, a Pasta reitera que o município não tem confirmação de nenhum caso de febre amarela, sendo observado apenas um caso suspeito.

 

CASOS

De acordo com boletim divulgado nesta quinta-feira (1º) pelo Ministério da Saúde, o número de casos subiu para 723 e de mortes para 237 no país.

O período considerado é de julho do ano passado até 28 de fevereiro. No boletim anterior, divulgado na quarta-feira (21 de fevereiro) eram 545 casos e 164 mortes pela doença. Até o momento, houve 2.867 notificações de casos suspeitos, sendo que foram 1.359 descartados e 785 permanecem em investigação.

Segundo o Ministério, embora os casos do atual período de monitoramento tenham sido superiores ao período passado, o vírus da febre amarela circula hoje em regiões metropolitanas do país com maior contingente populacional, atingindo 32,3 milhões de pessoas, inclusive, de áreas que nunca tiveram recomendação de vacina. No período passado, por exemplo, o surto atingiu uma população de 8 milhões de pessoas – número muito inferior.

Post anterior

Mulher é espancada após sessão de cinema

Próximo post

Seis suspeitas de estupro chegam ao Conselho