Home»Destaque na Home»Escola de Capacitação Pró-Egresso é inaugurada

Escola de Capacitação Pró-Egresso é inaugurada

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Na última terça-feira (30), aconteceu a inauguração da Escola de Capacitação Pró-Egresso da Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu, destinada a reeducandas do regime semiaberto. O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) por meio da Coordenadoria das Unidades Prisionais da Região Central (CRC) com a Coordenadoria da Reintegração Social e Cidadania (CRSC). A nova unidade é a 8ª que está sendo implantada pelo Governo do Estado.

A solenidade de inauguração contou com a participação do coordenador de Reintegração Social e Cidadania, Mauro Rogério Bitencourt, do coordenador regional das Unidades Prisionais, Jean Ulisses Carlucci, além da diretora da penitenciária feminina, Daniele Freitas Mello, e da secretária de Segurança de Mogi Guaçu, Judite de Oliveira, que representou o prefeito Walter Caveanha (PTB). O evento também contou com representantes das Polícia Civil e Militar, da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), da Diretoria de Ensino de Mogi Mirim e do vereador Luís Zanco Neto (PTC).

Daniele
Daniele

O prédio possui duas salas de aulas, uma biblioteca e uma sala para os professores. No local será oferecido o ensino de educação para jovens e adultos (EJA) em dois níveis: fundamental I e II e ensino médio. Também haverá uma turma extra do programa de olho no futuro com a promoção de cursos de capacitação profissional. Inicialmente, 60 reeducandas serão atendidas pela escola de capacitação, sendo 40 no EJA.

A diretoria da unidade prisional ressaltou a importância da escola para as reeducandas, principalmente porque elas poderão continuar com os estudos com a mudança de progressão da pena. “É um espaço que não existia, mas via como sendo de muita importância possibilitar que as reeducandas busquem algo a mais. Eu acredito nisso, pois conhecimento é o caminho para se descobrir. Que esse espaço seja muito bem cuidado”, comentou.

O coordenador das Unidades Prisionais da Região Central, Jean Ulisses Carlucci, enfatizou que uma das missão da SAP é justamente buscar a reinserção social das reeducandas. “Nossa missão é proporcionar condições e oportunidades para retorno à sociedade. E esse projeto tem atingido esse objetivo”, comentou ao ressaltar que a construção do prédio teve um baixo custo e mão de obra carcerária. “O custo foi extremamente baixo e usamos a mão de obra carcerária nessa construção. As próprias detentas puderam participar, assim como detentos de outras unidades”, explicou.

O prédio foi construído do lado externo da unidade prisional e conta com uma construção de 195 m² metros quadrados.

inauguracao escola penitenciaria femininaPrograma

O Programa Estadual de Apoio ao Egresso do Sistema Penitenciário – Pró-Egresso- foi criado em dezembro de 2009. O projeto atua em duas frentes: no encaminhamento de egressos do sistema penitenciário ao mercado de trabalho e na qualificação profissional dos sentenciados que cumprem pena em unidades prisionais de regime semiaberto, de egressos e de pessoas em cumprimento de penas em medidas alternativas.

O coordenador de Reintegração Social e Cidadania, Mauro Rogério Bitencourt, ressaltou, durante seu discurso, a realização do curso de pintura de prédios públicos, trabalho desenvolvido pelas reeducandas. Na última semana, um grupo finalizou a pintura em duas escolas estaduais de Mogi Guaçu: na “Prof.ª Ângela Maria da Paixão Costa”, no Jardim Boa Esperança, e na “Prof.ª Therezinha Apparecida Villani de Camargo”, no Jardim Fantinato. A tarefa foi realizada por 50 reeducandas do regime semiaberto. “Elas foram selecionadas para receber qualificação profissional por meio do programa via rápida expresso, que oferece aulas práticas de pintura em prédios públicos, e o resultado tem sido gratificante”, ressaltou.

inauguracao escola penitenciaria feminina

Penitenciária

A Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu foi inaugurada em 2015. A população prisional da unidade guaçuana é de 634 detentas, sendo que a capacidade é de 741. Já a ala de progressão penitenciária conta com 166 reeducandas, mas a capacidade é de 108.

Previous post

Editorial: Ajustar relações

Next post

Ypê Pinheiro, Comercial, Paulista e Itaqui na semifinal