Home»Cidade»Emília Marchi: Radar “fiscaliza” velocidade, avanço e parada

Emília Marchi: Radar “fiscaliza” velocidade, avanço e parada

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Quem trafega pela Avenida Emília Marchi Martini certamente observou a instalação de equipamento de radar em frente à Lojas Cem. O novo aparelho de fiscalização eletrônica vai aferir velocidade, avanço de sinal vermelho e parada sobre a faixa de pedestre. Outro equipamento semelhante funciona há alguns anos em frente à Rua XV de Novembro, em frente ao McDonalds.

 

Com a instalação do aparelho, o trânsito na via passa a ser de 40 quilômetros por hora. As novas placas com indicativo da velocidade limite serão providenciadas para a via e, aliás, em ambos os sentidos, ou seja, bairro/centro e centro/bairro.

A estimativa do secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli é de que o equipamento comece a operar dentro de 30 dias. Isto porque, ainda precisa ser aferido pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e tecnologia). “O radar vai flagrar também os motoristas que insistem em fazer a conversão irregular no semáforo”, acrescenta.

radar semafaro emilia marchi martini

 

MULTAS

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), parar o veículo sobre a faixa de pedestres na mudança de sinal é uma infração média com multa de R$ 130,16 e quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória resulta em multa de R$ 293,47, sendo considerada infração gravíssima (sete pontos). Já transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20% equivale a infração média (4 pontos) e multa de R$ 130,16; trafegar em velocidade acima da permitida entre 20% e 50% é infração grave (cinco pontos) com multa de R$ 195,23 e trafegar 50% acima da velocidade permitida é infração gravíssima (sete pontos) com multa de R$ 888,41 e suspensão da CNH.

 

 

Post anterior

Vigilante é preso com arma, munição e rádios comunicadores

Próximo post

Com início previsto para janeiro, obras de creches não começaram