Home»Cidade»Eleições atípicas: Ambulantes lamentam poucas vendas

Eleições atípicas: Ambulantes lamentam poucas vendas

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O dia de eleição é sempre muito aguardado pelos ambulantes que encontram nesta ocasião a oportunidade de conseguir um dinheiro extra, devido ao movimento de eleitores nas ruas, além de crianças e adolescentes. Mas, neste domingo (7), o cenário para os ambulantes não estava propício. Tempo nublado e chuviscos foram os principais fatores que desanimaram os ambulantes. Eles viram as vendas caírem e poucos fregueses a fim de se refrescarem com água mineral, sucos e refrigerantes ou ‘distraírem’ o paladar com doces, salgadinhos ou sorvetes.

A Gazeta percorreu várias ruas e avenidas de Mogi Guaçu, além de ir a várias escolas onde havia locais de votação e a presença dos ambulantes estava rara. Diferentemente do que aconteceu em eleições anteriores, quando estes trabalhadores eram vistos facilmente nas esquinas das escolas atraindo consumidores de todas as faixas etárias.

Valdeci apostou na venda de água e sucos
Valdeci apostou na venda de água e sucos

O ambulante Valdeci Inácio estava na porta do CAIC (Centro de Atendimento Integral à Criança) vendendo sucos, refrigerantes, água e salgadinhos, mas o movimento de fregueses estava fraquíssimo. “O tempo não está ajudando. Não tem sol. Nem concorrente eu tenho aqui. Acho que vou embora antes do fim da eleição. Não está tendo movimento. Não compensa ficar aqui, sem vender nada”, lamentou Valdeci, que estava ‘estreando’ como ambulante novamente, após alguns anos sem trabalhar neste ramo. “É meu primeiro dia, de novo, mas não dei muita sorte, não”, brincou ele.

Quem também ficou chateado com o clima nublado e a temperatura mais amena, na manhã deste domingo foi o aposentado Benedito da Costa Ferreira, que também trabalha como sorveteiro. Com o carrinho repleto dos mais variados sabores, ele estava parado em frente da Emef “Waldomiro Calmazini”, no Jardim Almira, e contou que havia vendido poucos sorvetes até às 11 horas da manhã. “Esse chuvisco não ajuda. Estou vendendo muito pouco. As crianças acabam querendo e os pais cedem e compram. Mas já tive eleições melhores para trabalhar. Esta aqui está fraca para vender sorvetes”. Devo ir embora logo. Talvez, mude de lugar”, cogitou Benedito.

Benedito
Benedito

 

Post anterior

Artigo: Crise que não é inédita

Próximo post

Problemas foram relatados por eleitores no plantão policial