Home»Cidade»Educação revê decisão e volta a conceder passe aos alunos da Feg

Educação revê decisão e volta a conceder passe aos alunos da Feg

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Após comunicar sobre a suspensão da concessão de passe escolar aos alunos da Feg (Fundação Educacional Guaçuana), a Secretaria Municipal de Educação volta a ofertar o benefício. A garantia é de que os estudantes terão o passe escolar até o dia 30 de novembro. A revisão da decisão foi tomada depois de apelo dos pais de alunos e de um grupo de vereadores.

De acordo com o informado pela assessoria de imprensa da Prefeitura, a Secretaria Municipal de Educação recebeu várias queixas de pais e resolveu estender o benefício até o final do ano letivo. A Pasta oferece o passe escolar para 134 alunos da Feg, o que totaliza o valor mensal de R$ 135 mil. O benefício é ofertado desde 2013. A continuidade do benefício para 2019 será analisada.

Segundo o vereador Guilherme de Souza Campos, o Guilherme da Farmácia (PSD), a secretária de Educação, Célia Maria Mamede, observou que a partir de 2019 o benefício não será mais concedido. A informação foi dada em reunião entre Guilherme e os também vereadores Rodrigo Falsetti (PTB) e Natalino Tony Silva (Rede Sustentabilidade) com a secretária e o supervisor de ensino, Paulo Paliari. O encontro aconteceu esta semana na sede da Pasta.

reuniao_fegPara Guilherme, a garantia do benefício até o final do ano trará um alívio aos pais, pois, de fato, muitos não teriam recurso para arcar com os custos do transporte. “Mas vamos procurar a Feg e reivindicar que assuma parte deste custo, mesmo que seja 50%”, adianta, pontuando que o assunto não será esquecido.

Com a suspensão do benefício, os pais teriam que arcar com o custo mensal de R$ 157 com o passe escolar, enquanto pagam apenas R$ 13 com o subsídio da Educação. A justificativa para a suspensão do benefício é de que a Educação garante a vaga para todos os alunos do município, tanto no ensino infantil como no fundamental, nas escolas próximas de onde residem. Portanto, matricular os alunos na Feg foi uma decisão particular das famílias.

Post anterior

Exposição pode ser conferida na Estação Educação

Próximo post

“Amor de Pai” pelas lentes de Carlos Almeida