Home»Editorial»Editorial: Qual será a decisão do PSL?

Editorial: Qual será a decisão do PSL?

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Ao que tudo indica, neste período pré-eleitoral, as eleições municipais de 2016 vão pegar fogo e serão disputadas de maneira acirrada e com todos os argumentos e estratégias para conquistar o voto do eleitor. Isso porque, a dança das cadeiras está sendo feita quase sob sete chaves. A intenção é que o adversário político não saiba qual será a próxima jogada daqueles que também estão traçando seus planos na mira de um único alvo: a Prefeitura de Mogi Guaçu.

Diante disso, o que dizer do secretário municipal de Obras e Viação, Salvador Franceli, presidente do PSL local, que já está sendo sondado por partidos que querem tê-lo engrossando a lista de filiados. Ele afirma que, por enquanto, irá continuar à frente do PSL. Mas a declaração da presidente do PSDB guaçuano, Maria Otília Papa, de que irá filiar nos próximos dias um secretário municipal atiçou ainda mais as especulações acerca do nome de Franceli.

Caso ele deixe mesmo o PSL para filiar-se ao PSDB pode-se supor que o atual secretário de Obras venha a ser um possível candidato a vice-prefeito até mesmo ao lado de Walter Caveanha (PTB), se o PSDB estreitar os laços com o petebista e fechar apoio a sua reeleição. No entanto, vale ressaltar que Franceli é amigo de longa data do ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (PMDB) e, inclusive, o PSL manteve várias coligações com o PMDB em outras eleições municipais. Mas também é preciso lembrar que Franceli já esteve em ninho tucano no início de sua vida política partidária. O atual secretário de Obras e Viação está à frente de uma das principais Pastas da Administração Municipal. Foi presidente da Câmara Municipal, em 2005 e 2006.

Fez oposição ferrenha ao governo do ex-prefeito Paulo Eduardo de Barros, o Dr. Paulinho (PHS), entre os anos de 2009 e 2012, quando foi vereador, e em todas essas funções políticas conseguiu visibilidade junto à população, independentemente de ser uma boa ou má exposição. Se Franceli permanecer no PSL dará indícios de que a parceria entre seu partido e o PMDB estará garantida para o próximo pleito. Mas aí ele dependerá da manutenção da aliança entre Hélio Miachon Bueno e Walter Caveanha para prosseguir sendo fiel ao compromisso assumido com o atual prefeito junto à Secretaria de Obras.

Se Franceli deixar o PSL para filiar-se a uma sigla que está fora da base de apoio ao atual Governo Municipal acender-se-á a luz de alerta diante de prováveis sinais de que o atual secretário de Obras poderá ser candidato a cargo majoritário, até porque, ele já foi enfático ao afirmar que não irá mais disputar vaga na Câmara Municipal.

O fato é que Franceli terá que anunciar sua decisão nos próximos dias e isso pode ser a seta que apontará prováveis rumos das eleições municipais de 2016, principalmente na disputa para o comando da Prefeitura de Mogi Guaçu.

 

 

 

 

 

 

 

 

Post anterior

Conta Tudo da edição de sábado, 26 de setembro

Próximo post

Tome Nota da edição de sábado-25 de setembro