Home»Editorial»Editorial: O embate de segunda-feira

Editorial: O embate de segunda-feira

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A sessão da Câmara da próxima segunda-feira (10) pode trazer surpresas para quem acompanha os trabalhos dos vereadores da cidade ou até mesmo quem gosta de acompanhar o cenário político. A eleição para o novo presidente da Câmara está marcada para as 19h00 e o resultado pode ser uma surpresa: tanto para o lado da situação quanto para o lado da oposição.

Não é segredo que o prefeito Walter Caveanha (PTB) tem participado efetivamente das reuniões que discutem a escolha do candidato da base aliada. Mesmo sendo poderes independentes, que prefeito não gostaria de continuar com uma maioria na Câmara Municipal e com o presidente da Casa de Leis para colocar em votação os projetos de seu interesse?

Porém, uma ala que podemos chamar de oposição, mas com alguns integrantes da situação, pode surpreender e votar contra o que espera o chefe do Executivo. O vereador Rodrigo Falsetti (PTB), novato na Câmara, tem o favoritismo entre os colegas e tem tudo para ser eleito na próxima segunda-feira. É claro que esse cenário pode ser alterado, pois ainda na tarde desta sexta-feira (7) o prefeito estava reunido com alguns vereadores em sua residência para definir o candidato da base.

Se não houver surpresas, o escolhido deve ser o também novato Francisco Magela Inácio, o Chicão do Açougue (PSD), mas que não teria o apoio da maioria dos colegas. Por conta disso, a sondagem e a pressão em cima dos vereadores têm sido grande. Foram realizados nos últimos meses diversos encontros, almoços e cafés, a fim de que se chegasse a um consenso sobre o candidato escolhido por Caveanha. Porém, o petebista pode não conseguir eleger o candidato escolhido por ele.

É claro que a votação está aberta e muita coisa pode mudar até lá. Não é segredo também que esse tipo de reunião pode, sim, afetar o que já foi acordado dependendo das promessas feitas a portas fechadas. Ganhos e perdas costumam ser colocados na balança nesses momentos de decisão.

Rodrigo Falsetti demonstra estar mais confiante no processo de votação da próxima segunda-feira e, por isso, também tem costurado o apoio da maioria e conquistado a promessa do voto. Já Chicão diz que espera decisão do grupo e não demostra a mesma firmeza quando questionado sobre o processo eleitoral. O que ainda ninguém consegue (ou não quer) explicar é o motivo de o prefeito preferir Chicão a Rodrigo, uma vez que o vereador petebista foi eleito no mesmo grupo de Caveanha.

Alguns argumentos até são apresentados, entre eles a de que Rodrigo Falsetti poderia atrapalhar os planos do prefeito de lançar seu filho Thomaz Caveanha (PTB) a candidato a prefeito em 2024. São situações que, talvez, só o tempo dirá, apesar de que a decisão de segunda-feira poderá deixar o tabuleiro montado para as próximas decisões.

Post anterior

“Valente” é tema do 1º espetáculo da Karen Lima Escola de Dança

Próximo post

Piloto de Mogi Guaçu fica em quarto no Super Bike em Interlagos