Home»Editorial»Editorial: Até quando?

Editorial: Até quando?

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A reabertura da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), no Jardim Santa Marta, está muito distante de acontecer. Depender, principalmente, do Governo Federal para isso é o mesmo que admitir o fracasso na intenção de reabrir a unidade. 2018 é ano de eleições gerais, o que já torna ainda mais complicado qualquer novo repasse financeiro para municípios e até mesmo inseri-los em novos programas e benefícios federais. Isso porque, a legislação eleitoral traz várias proibições nesse sentido que precisam ser cumpridas a risca. Além disso, todo o cenário político e econômico não favorece em nada ao Governo Federal que está contando centavos na hora de liberar verbas para Estados e Municípios tamanha celeuma na qual entrou com todas essa denúncias de corrupção.

Portanto, depender do Governo Federal é pura ilusão. A UPA do Jardim Santa Marta está prestes a se tornar um ‘elefante branco’ em Mogi Guaçu. Sem serventia para nada. A saída mais consciente é assumir para si a responsabilidade financeira. A princípio, pode parecer loucura ou suicídio financeiro. Mas não é. Um bom planejamento nas finanças do município, cortes de gastos em outras Pastas e até mesmo a melhor distribuição dos impostos arrecadados podem, sim, garantir a economia de pouco mais de R$ 500 mil por mês para serem investidos na UPA do Santa Marta. O Governo Municipal poderia, inclusive, considerar alguma parceria com iniciativas privadas para solucionar de vez esse impasse acerca daquela UPA.

Afinal, diante de um Governo Federal que está de mãos praticamente atadas e de um Governo Estadual que também beira o caos nos imbróglios das denúncias de corrupção, o que a Administração Municipal precisa evitar é justamente ficar dependendo única e exclusivamente destes dois ‘braços’ para avançar com o desenvolvimento de Mogi Guaçu. Sabe-se que a população não está sem atendimento médico, já que a UPA está funcionando no Jardim Novo II e atendendo toda a demanda da cidade que chega até ela. Mas o prédio da UPA vai ficar sem uso até quando? Sem serventia alguma para o município até quando? São poucas as chances de Mogi Guaçu conseguir viabilizar mais dinheiro seja do Governo Federal ou do Estadual para reabrir a UPA no Santa Marta. Até porque, é preciso ter certeza que o Governo Federal, por exemplo, irá autorizar Mogi Guaçu a ter duas Unidades de Pronto Atendimento.

Alguns profissionais entendidos deste assunto defendem que a cidade não comporta duas UPAs devido ao número de habitantes. Enfim, são várias as perguntas sem respostas. O Governo Municipal, obviamente, não irá se comprometer em assumir algumas condições que justificam de fato a demora na reabertura da UPA. Enquanto isso, os guardas civis municipais seguem pelo prédio da unidade tentando evitar atos de vandalismo. Ao que parece, eles vão ficar por lá realizando esse serviço por muito, muito tempo.

Post anterior

Curtas: boate fechada e adolescentes fujões da escola

Próximo post

Cerâmica Clube tem bailes e matinês