Home»Editorial»Editorial: As andanças do prefeito

Editorial: As andanças do prefeito

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O prefeito Walter Caveanha (PTB) fez uma aparição pública nessa semana que chamou a atenção dos mais atentos ao cenário político. O chefe do Executivo fez questão de ser fotografado na Avenida Nico Lanzi, cujas obras tiveram início na última segunda-feira (25), após anos de espera e expectativa por melhorias em uma das principais entradas da cidade. É compreensível que o prefeito queira acompanhar a obra que está sendo um alento para os dias difíceis que tem passado em sua Administração, com reclamações sobre a merenda e limpeza da cidade.

O que se questiona na ação do experiente político é que a mesma disposição de acompanhar de perto a situação, apontando caminhos a seguir ou antecipando-se a novos problemas, não foi vista, por exemplo, no caso da falta de carne vermelha na merenda das crianças nas escolas municipais e estaduais. Certamente, esse assunto, que ficou literalmente mais espinhoso com o passar dos dias e ainda não se resolveu, não deva ser um dos preferidos do prefeito, mas sua presença em algumas escolas municipais, em contato com as profissionais de lá, denotaria maior preocupação. A simples presença da maior autoridade do município em uma cozinha de uma Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) ou Emei (Escola Municipal de Ensino Infantil) poderia dar uma outra importância ao tema que tanto incomoda pais de alunos.

O gabinete do prefeito também anda movimentado, diferente do que se costuma ver, mas o acesso ainda é rigorosamente controlado de acordo com preferências partidárias ou de menos incômodo mesmo. Caveanha recebeu líderes do MST (Movimento dos Sem Terra), que ocupam a Fazenda Campininha há sete meses, selecionou vereadores para ouvi-lo no quarto andar, mas não demonstra esse lado cicerone para recepcionar, por exemplo, os conselheiros tutelares com suas reivindicações ou os feirantes da cidade que só foram recebidos após muita pressão dos vereadores e da comissão que os representa.

Ao selecionar demais seus compromissos, ignorar algumas aparições públicas e evitar inevitáveis enfrentamentos, Caveanha não só diminui sua empatia junto à população como passa a ideia de um prefeito acanhado e comedido demais, algo não compatível com seu histórico político. O Governo Municipal terá de escolher entre gastar saliva, que parece não ser a melhor opção frente à falta de justificativas diante do turbilhão de obstáculos a que vem sendo submetido, ou gastar sola de sapato em andanças não só por terrenos férteis como obras recém-iniciadas, mas em locais empoeirados ou até lamacentos que precisam do direcionamento próximo do prefeito, ainda que isto gere alguns arranhões e vários calos nos pés.

Post anterior

Guaçuano é campeão de enterradas em Franca

Próximo post

Escola de Música da Banda Santa Terezinha tem vagas abertas