Home»Caderno Multi»Dia dos Pais: Lojistas apostam na data para aquecer vendas

Dia dos Pais: Lojistas apostam na data para aquecer vendas

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O Dia dos Pais se aproxima e com ele a expectativa de melhorar as vendas no comércio. Camisas, sapatos, perfumes, óculos de sol, eletrônicos e até televisores são alguns dos itens mais escolhidos pelos filhos para presentear os pais. No caso dos televisores o ‘boom’ nas vendas se deve ao alto estoque por causa da Copa do Mundo, na Rússia. Daí, geralmente, é comum também que o próprio pai se dê o televisor de presente. Mas quem preferir deixar o custo da televisão de lado, na hora de presentear, vai poder apostar, principalmente nos vestuários.

A média prevista pela Acimg (Associação Comercial e Industrial de Mogi Guaçu) é de que os filhos gastem entre R$ 100 e R$150 para presentear o pai, neste ano. Para o superintendente da Acimg, Adenilson Júnior dos Reis, a estimativa é de que as vendas aumentem aproximadamente 3% na comemoração do Dia dos Pais. “Pode até ser que alcance os 5%, mas estamos preferindo apostar nos 3%. Considero que esse será o teto máximo para a data”, previu Adenilson.

Adenilson
Adenilson

Isso porque, ele aponta que a economia não está tão aquecida quanto parece. “Estamos com a economia estagnada e percebemos parâmetros baixos, por enquanto. Por causa disso, não arriscamos estimar mais do que 3% para este ano”, reforçou o superintendente.

Considerada uma das boas datas comemorativas ao longo do ano, o Dia dos Pais ainda está abaixo do Dia das Mães no volume de vendas. Porém, aos poucos, este cenário vem mudando. Um dos fatores que contribui para isso é o novo comportamento dos pais. Eles estão mais presentes, participativos e amorosos. “Essa mudança no comportamento dos pais reflete diretamente na relação com os filhos. Como resultado, têm-se filhos também mais gratos e amorosos querendo agradar e reconhecer o companheirismo dos pais”, observou Adenilson.

Outro fator que poderá contribuir para o aumento nas vendas no Dia dos Pais é a previsão de queda nas temperaturas neste início de agosto. Com o clima mais frio, as queimas de estoque das peças de inverno devem tomar conta das lojas e atrair os clientes. “É uma opção. As roupas de inverno para homens sempre acabam caindo na preferência e com os preços mais baixos a tendência é de que os lojistas consigam elevar as vendas, mesmo que seja timidamente”, concluiu Adenilson.

COMÉRCIO

Preços dos presentes vão variar entre R$ 100 e R$ 150

Raquel e a filha
Raquel e a filha

Nas ruas de Mogi Guaçu, a expectativa da Acimg se confirma. Os filhos pretendem de fato gastar até R$ 150 em média para presentear os pais. A pedagoga Raquel Urbano de Carvalho, por exemplo, disse que tem o hábito de presentear o marido, Marco Antônio, no Dia dos Pais e que a escolha sempre fica entre sapatos e camisas. “Não tenho mais meu pai. Porém, presenteio, sim, meu marido. Gastamos em média R$ 100/R$ 150 com a compra do presente”, contou Raquel. “Mas, geralmente, quem escolhe é nossa filha, Maria Eduarda”, completou. A menina, de 9 anos, que é filha única, ainda não sabia ao certo o que irá dar de presente ao pai, neste ano. “Ainda não sei”, disse ela, timidamente, ao lado da mãe.

Mas também tem quem vai extrapolar um pouco e chegar aos R$ 200. É o caso, por exemplo, do mecânico de motos Leonardo Rodrigues, 19 anos, que está decidido a agradar ao pai Amâncio. Além do almoço em família, no próximo domingo (11), Leonardo pretende escolher um bom perfume para presentear o pai. “Ele gosta de perfume. Às vezes, acabo dando outros presentes, como camisa, mas perfume é o que ele mais gosta. E também vamos sair para almoçar juntos”, reforçou Leonardo, que é um dos três filhos do senhor Amâncio. “Meus irmãos também costumam dar presentes para o meu pai. Cada um escolhe o que quer comprar. Graças a Deus, eu tenho uma boa relação com meu pai, convivemos bem, e mesmo agora eu estando desempregado, não vou deixar de presenteá-lo neste ano. Ele merece”, disse Leonardo, mostrando ter orgulho do pai.

Leonardo
Leonardo

Já Danilo Donizete, 29 anos, vai aguardar a decisão da esposa para saber qual será o presente que irá receber. “Geralmente, é uma camisa”, adiantou ele. Pai de Isabele, 9 anos, e Heitor, de 11 meses, Danilo admite que não gosta de se auto presentear. “Sei que têm pais que possuem este hábito. Não acho errado, mas não gosto. Prefiro receber da minha esposa mesmo. Geralmente, ela gasta em torno de R$ 150 com camisa e fico muito satisfeito”. E Danilo sabe bem a sensação boa que é ser presenteado no Dia dos Pais, tanto é que ele não deixa de estar junto ao pai, Luís Donizete, que mora em Caldas/MG, na área rural. “Todo ano vou para lá ficar com meu pai. Não vou na data exata, mas escolhemos um domingo antes e eu e minha irmã vamos juntos para lá e sempre levamos um presente”, diz Donizete.

Danilo
Danilo

Para quem acha que o valor entre R$ 100 e R$ 150 é alto, há quem garanta que o presente para o Dia dos Pais pode ser comprado com valores menores, reforçando assim que o importante é não deixar a data passar em branco. Quem aposta nisso é a dona de casa Marli Rosa de Sousa. Ela cuida do pai José Rosa, que está com 83 anos e conta que não abre mão de agradar ao pai no domingo especial de agosto. “Ele adora doces. Não adianta eu comprar camisas, calças, ele deixa tudo guardado. O que ele gosta é de doces (risos). Então, costumo presenteá-lo com cestas de doces, chocolates, toda enfeitada. Ele está com 83 anos e não sai mais de casa para almoçarmos fora. Então, almoçamos juntos em casa mesmo e garanto os doces de presente”, finalizou Marli.

Marli
Marli

AUMENTO NAS VENDAS
Pesquisa também confirma expectativa de 3%

 Da Redação

Uma pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo) mostra que as vendas para o Dia dos Pais devem crescer em até 3% com ticket médio de compras entre R$ 100 e R$ 150. No entanto, pequenas e médias cidades do interior do Estado esperam tickets menores entre R$ 60 e R$ 100.

Para 45% das CDLs entrevistadas, o crescimento das vendas pode ser tímido e atingir 3%, enquanto 18% acreditam em até 5% de aumento. Embora a economia apresente melhora, o crescimento do consumo ainda deve ser lento e gradual. “O país ainda passa por muitas incertezas, tanto políticas quanto econômicas. Estas razões fazem o consumidor ficar mais cauteloso e pensar em comprar apenas o essencial”, explica o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff.

Isso não significa que os filhos deixarão de presentear seus pais, mas pode ser uma data de lembrancinhas em que alguns setores da economia se destacarão mais. “Vestuário, calçados e perfumaria são segmentos que tendem a faturar melhor nesta época”, comenta. 

presente

No interior

Um pouco mais otimista, a CDL de Barretos registrou um crescimento de vendas de 3%, em 2017, e para este ano a expectativa é de 5%, com destaque para o setor de alimentos. “Observamos que um segmento que está crescendo é o de alimentação fora do lar. É possível que este setor tenha mais destaque para a data”, conta o presidente da CDL de Barretos, André Luís Peroni Ângelo.

Para a região é esperado que o consumidor gaste o valor de até R$ 150. Em Sorocaba, a expectativa de vendas é de 3% igual ao ano passado, também com um ticket médio de R$ 100 a R$ 150, com destaque para o setor de confecções. 

Post anterior

Equipe de tênis de mesa participa da V Etapa da Liga Paulista

Próximo post

Oncologia: Recurso aumenta e atendimento é ampliado