Home»Destaque na Home»Corpo encontrado: Prefeitura tenta cobrar proprietário de área

Corpo encontrado: Prefeitura tenta cobrar proprietário de área

O corpo foi encontrado na área conhecida como “Favela”, frequentada por usuários de drogas

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Em julho de 2015, a “Favela da Vila Paraíso”, localizada atrás do Centro Esportivo “José Suzigan”, o Beira-Rio, foi demolida durante uma ação conjunta entre Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal na Operação Saturação.

Na época, a ordem de destruição partiu do próprio prefeito Walter Caveanha (PTB), que atualmente cumpre seu 5º mandato. A ação realizada há quase quatro anos foi acompanhada por assistentes sociais e pela secretária de Segurança, Judite de Oliveira.

No entanto, a retirada dos barracos e a limpeza feita no terreno não intimidaram os usuários de drogas que se instalaram no espaço, tanto que as moradias irregulares foram novamente instaladas no mesmo lugar.

mulher encontrada morta vila paraisoGerando insegurança e sujeira aos vizinhos, os problemas ocasionados pela favela vieram à tona mais uma vez esta semana quando, na tarde de terça-feira (15), uma mulher foi encontrada morta dentro de um dos barracos.

Foi uma amiga de Maria Aparecida Bueno, de 55 anos, quem a encontrou sem vida deitada em um sofá e chamou o Samu e a Polícia Militar que compareceram ao local e constataram o óbito.

No Boletim de Ocorrência, o filho de Maria relata que a mãe era usuária de drogas e morava sozinha em um dos barracos da favela. O corpo de Maria foi removido ao Instituto Médico Legal (IML), onde o primeiro registro feito foi de morte suspeita, já que exames laboratoriais, que demoram cerca de 40 dias, é que vão constatar a real causa do óbito. No entanto, vale lembrar que o corpo de Maria não apresentava sinais aparentes de violência.

 

Proprietário será notificado

A Gazeta questionou a Prefeitura sobre as condições do terreno onde as moradias foram improvisadas. A assessoria de comunicação informou que nesta quarta-feira (16) e quinta-feira (17), dois fiscais da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano estiverem no local que tem cerca de 600 metros quadrados e constataram que trata-se de uma área particular. Com isso, o dono do terreno será notificado com o objetivo de tomar alguma providência. Caso contrário, ele será multado. A assessoria ainda informou que não tem um número de quantas pessoas ocupam o espaço, já que a maioria dos frequentadores não vai ao local com frequência.

mulher encontrada morta vila paraisoO comandante da Guarda Civil Municipal, Claudemir Adorno da Costa, confirmou que o terreno tem dono e que ele precisa tomar providências para fechar a área de maneira correta, impedindo a invasão. Adorno ainda disse que a GCM sempre vai ao local e que faz pouco tempo que os usuários voltaram a dormir ou a morar no terreno que até então era apenas frequentado e não habitado.

Ainda de acordo com o comandante e com a assessoria de imprensa da Prefeitura, depois da morte da mulher, os usuários teriam por conta própria abandonado a área. 

Post anterior

Posse de arma: Autoridades policiais são favoráveis ao decreto

Próximo post

Artigo: A quebra de um ciclo e o início de novos tempos