Home»Destaque na Home»Corpo de morador de Campinas é encontrado na Zona Rural

Corpo de morador de Campinas é encontrado na Zona Rural

Desaparecida há 19 dias, a vítima teria sido morta por Marquinhos Resgate, morador de Itapira

6
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Investigadores de Campinas e Itapira localizaram na tarde de terça-feira (6), em Mogi Guaçu, um corpo em estado de decomposição. A ossada estava às margens da Rodovia Vicinal Antônio Joaquim de Moura Andrade (SPI-177), próximo ao bairro rural de Conselheiro Laurindo.

O delegado Richard Alain Lolli, titular do 1º Distrito Policial de Itapira, acredita que o corpo seja do comerciante Edgar dos Reis Lima, 24 anos. Ele desapareceu em Campinas no dia 18 de janeiro. A ocorrência foi registrada como homicídio qualificado, uma vez que provas e testemunhas colaboram para a conclusão de que a morte foi uma ‘queima de arquivo’. O corpo foi encaminhado para exames na Capital onde também será feito o teste de DNA, com comparação genética de um familiar de Lima.

Edgar Lima
Edgar Lima

O autor do crime seria Marcos Ribeiro de Morais, o Marquinhos Resgate, 39 anos, morador de Itapira. Marquinhos está preso por outro crime e, na manhã de quinta-feira (8), foi levado para depoimento na Delegacia de Homicídio de Campinas. A princípio ele negou ter matado Lima e também atribuiu à vítima a autoria de outros dois homicídios ocorridos em Campinas dos quais é acusado. Mas acabou confessando todos os crimes e deu detalhes da execução de Edgar.

O delegado ressaltou que há indícios testemunhais e de provas periciadas de que Marquinhos Resgate esteja envolvido em outros homicídios ocorridos em Itapira. O acusado tem antecedentes criminais por extorsão, roubo, sequestro e tráfico. Ele cumpria pena desde 2003 e conseguiu o benefício da Saída Temporária em março do ano passado, e não retornou mais para a penitenciária. Ele foi preso no final de janeiro desse ano, em Campinas, após ser flagrado com drogas em uma blitz da Polícia Militar.

Ao ser detido, ele tentou usar nome falso, mas já era procurado por um caso de duplo homicídio. Mas antes disso, teria matado outras cinco pessoas, sendo que em quatro dos homicídios Edgar dos Reis Lima teria dado cobertura.

 

Comparsa morto

O delegado comenta que ainda não se sabe o local exato em que Edgar dos Reis Lima foi morto. Isso porque, a motocicleta dele foi localizada há alguns quilômetros do local em que o corpo estava. Escondido debaixo do banco da moto, os policiais encontraram um revólver calibre 38, que pode ter sido usado para executar Lima.

local homicidio edgar reis

Embora aguarde o resultado do DNA para comprovar a identificação, o delegado de Itapira disse que familiares de Lima vieram até Itapira onde reconheceram os restos das vestes e correntinhas usadas pelo jovem no dia de seu desaparecimento.

Marquinhos Resgate teria uma dívida de R$ 11 mil e estaria sendo cobrado. A polícia ainda investiga o motivo pelo qual Lima deu o Fiesta para saldar a dívida que não era dele. A transação teria ocorrido no dia 16 de janeiro. Foi apurado durante a investigação que Marquinhos Resgate pediu para a pessoa transferir o carro logo porque precisava sumir com Lima. Informação que coincide com o desaparecimento dele, dia 18 de janeiro.

As investigações continuam pelas equipes do SIG de Itapira (Setor de Investigações Gerais) e SHPP de Campinas (Setor de Homicídio e Proteção a Pessoa).

 

EM CRIMES

Vítima teria sido comparsa de Marquinhos resgate

O duplo homicídio no qual Marquinhos Resgate é acusado de ser o autor ocorreu no dia 21 de dezembro do ano passado, em Campinas. O itapirense foi ‘tirar satisfação’ com o ex-marido da sua atual companheira. O vigilante Ricardo José da Silva pedia pensão para a ex-mulher por ter ficado com a guarda das duas filhas. Estavam separados há seis anos. Ela perdeu a guarda por maus-tratos. Além de matá-lo, Marquinhos também matou o irmão da vítima Márcio José da Silva, que entrou na discussão.

Marquinhos Resgate está preso e nega autoria de crimes
Marquinhos Resgate está preso e nega autoria de crimes

Em Campinas, Ricardo José da Silva tinha registrado Boletins de Ocorrência de ameaça que sofria por Marquinhos. A arma usada foi uma pistola 9 mm. Há indícios de que Edgar dos Reis Lima usou seu carro, um Fiesta, para levar Marquinhos até a casa das vítimas.

O delegado Richard Alain Lolli conta que no dia 26 de dezembro de 2017, o filho de um comerciante foi morto na frente do seu estabelecimento, um bar, em Itapira. A arma usada também foi uma pistola 9 mm. A vítima teria agredido o pai de Marquinhos Resgate, e após o espancamento, o pai de Marquinhos morreu. Ele teria ido ‘acertar as contas’ com o filho do dono do bar, Carlos Alexandre da Cruz. Há suspeita de que Lima também pudesse estar na condução do veículo, dessa vez, um Palio.

Lolli também não descarta a hipótese de que ‘Marquinhos Resgate’ seja o autor de outro homicídio em Itapira. Este crime ocorreu no dia 10 de janeiro desse ano. O homem morto, Júlio César da Silva, teria jurado matar Marquinhos Resgate por este ter matado seu irmão há 16 anos. O resultado do exame de balística ainda não chegou para saber o calibre da arma usada.

Portanto, Marquinhos Resgate é investigado por pelo menos cinco homicídios, todos entre dezembro do ano passado e janeiro desse ano.

 

 

 

 

 

Post anterior

Rodada da I Copa definiu classificados as quartas de final

Próximo post

Nathália Melo e alunos em evento internacional de dança