Home»Conta Tudo»Conta Tudo e os bastidores da política

Conta Tudo e os bastidores da política

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O Contra Tudo se despede de 2016 com os merecidos troféus para os destaques do ano no campo político. Vamos a eles.

Troféu “Victor Valentim e Jacques Leclair”

No melhor estilo dos dois personagens da novela Ti-Ti Ti, Alex Tailândia e Ivens Chiarelli protagonizaram embates na tribuna da Câmara que pouco tiveram efeito para eles. Nenhum dos dois conseguiu se eleger para os cargos em que entraram na disputa. E se como na novela viesse uma voz dos céus na última sessão para responder se um dia eles irão parar com isso, certamente também se ouvira: “Nunca”.

Troféu “Joselino Barbacena”

Bem que poderia ser dividido com outros colegas de vereança, mas ficará melhor na estante de Cruel Dáltio. Pouco falou, pouco fez, pouco apareceu. Seu melhor momento talvez tenha sido mesmo na campanha eleitoral deste ano quando utilizou o famoso gesto de Usain Bolt em seu material de divulgação. Como diria o personagem da Escolinha do Professor Raimundo: “Meu Deus, me deixa aqui quietinho. Já me descobriu aqui de novo”.

Troféu “Sem rédeas”

O secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, mais um ano, demonstrou que tem personalidade. Ouviu muitas críticas, mas rebateu praticamente todas. Não fugiu de nenhum assunto quando questionado pela imprensa e pelos munícipes – e foram muitos ao longo do ano. Só não recebeu o tão sonhado sim para ser o candidato a vice de Caveanha. Coisas da vida.

Troféu “Eu aqui, vocês aí”

A secretária de Saúde, Clara Alice de Almeida Carvalho, confirmou em 2016 que não faz a menor questão de dar entrevistas e falar sobre temas importantes de sua Pasta. Só em coletivas e olhe lá. Preferiu se distanciar dos jornalistas e, consequentemente, dos munícipes. Diferente do seu marido, Denis Carvalho, que segue com interatividade total junto a todos e é o preferido de Caveanha para, quem sabe, substituí-lo em 2020, segundo fontes próximas.

Troféu Nenhum

O PT também se destacou na sua campanha eleitoral com spots criativos no rádio. Com candidatos apenas para o Legislativo, os companheiros Galo e Fausta pediam votos para eles, mas quando questionados pelo locutor quem apoiariam para perfeito ouvia-se um sonoro “Nenhum”.  Se por um lado o PT ficou novamente sem representante na Câmara, pode-se afirmar que, pelo menos no meio político, a ideia do “nenhum” viralizou.

Troféu “Não tem Tu”

O vice-prefeito eleito Daniel Rossi não vai ter do que reclamar de 2016. Depois de muita expectativa foi escolhido pelo grupo do prefeito Walter Caveanha para dividir a chapa que saiu vitoriosa nas eleições de outubro último. Deixa a Câmara para entrar no Executivo com muito mais força. Não era o preferido de Caveanha, não é segredo, mas soube estar no lugar certo, na hora certa. Agora é comemorar.

Esse é o último Conta Tudo do ano. Obrigado a todos os leitores – e políticos – que acompanham e entendem as histórias contadas por esse colunista. Boas festas para todos e até o ano que vem.  Aqui a gente conta tudo.

Previous post

Equipe Corug faz pódios no Guaçu e em Mogi Mirim

Next post

Editorial: Quem paga a conta?