Home»Caderno Multi»Concentração: Tiro esportivo exige mais do que técnica

Concentração: Tiro esportivo exige mais do que técnica

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O decreto assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), facilitando a posse de arma de fogo, no início deste ano, já começa a refletir num outro segmento: o esporte, também conhecido como tiro esportivo.

Ter uma arma de fogo em casa divide opiniões. Alguns são contra. Outros são favoráveis. Mas quando a posse de arma torna-se uma motivação para a prática esportiva o assunto ganha um tom ainda mais sério e responsável. Isso porque, ter uma arma de fogo em casa, na zona urbana ou rural, e até mesmo no local de trabalho exige traquejo na hora de manuseá-la de forma correta e, principalmente, com o máximo de segurança possível.

Porém, engana-se quem pensa que os instrutores de tiro estão empolgados com o provável aumento na procura pelos cursos de tiro. Não! Na realidade, o que eles querem de fato é que o tiro esportivo ganhe repercussão, seja respeitado como esporte olímpico e que surjam novos adeptos e, principalmente, jovens atletas dispostos a se dedicarem a esta prática esportiva.

multi clube de tiro ivan
Ivan

O tiro esportivo é um esporte em que a concentração é mais importante do que a técnica e o preparo físico. Assim pode ser definida essa modalidade praticada por cerca de sete mil pessoas no Brasil, segundo as estatísticas da CBTE (Confederação Brasileira de Tiro Esportivo).
PRINCIPAL FOCO
Praticar tiro esportivo demanda atenção total à segurança

O Clube Mogiano de Tiro ao Alvo foi fundado em 1991. O Clube chegou a funcionar durante um período em Mogi Mirim e, atualmente, está em Mogi Guaçu onde o curso de tiro ministrado é totalmente voltado para a prática esportiva. O clube não é aberto. Para aderir a ele, a pessoa interessada precisa obrigatoriamente ser apresentada por um dos sócios. Em Mogi Guaçu, já são cerca de 200 atiradores esportivos associados ao Clube Mogiano de Tiro ao Alvo. 

O presidente do Clube, Ivan Carlos de Oliveira, faz questão de ressaltar que a segurança é o principal zelo no local. Principalmente, no uso e no manuseio da arma de fogo. “Segurança é tudo! Zelamos por cada detalhe, desde a chegada do atirador até sua saída do clube. Existem regras específicas e importantes para entrar e sair dos stands de tiro. Utilizamos equipamentos de segurança, como óculos, e as armas são verificadas sempre antes do início dos treinos e também depois, antes de serem guardadas novamente. Além disso, existe um local específico no clube destinado somente para este manuseio de verificação”, explicou Ivan, ressaltando que nesta área de segurança a arma de fogo será checada pelo atirador, será limpa e também terá checagem visual, antes de ele entrar na área do boxe.

Para praticar o tiro esportivo é preciso que a pessoa tenha 18 anos e tenha autorização para a posse de arma. “Porque o porte de arma é diferente. O porte permite que a pessoa saia de casa levando sua arma consigo. Já a posse permite a arma de fogo somente dentro da residência ou do local de trabalho, desde que a posse seja do dono do estabelecimento. No clube, o atirador não trará a própria arma de fogo para praticar o esporte. Ele usará as armas disponibilizadas pelo clube”, justificou Ivan.

multi clube de tiro ivanEle ainda frisou que muitas pessoas têm a posse de arma, não tem arma de fogo em casa, mas quer praticar o tiro esportivo. “Isso acontece, sim. Porque a pratica do tiro esportivo é gostosa e realmente dá uma sensação diferente. Praticar o tiro exige destreza, concentração, treinamento constante e disciplina. A pessoa passa a conhecer o tiro como sendo um esporte e isto é gratificante”, observou o presidente do Clube Mogiano de Tiro ao Alvo.

Para ele, o fato de o presidente da República ter facilitado a posse de arma para todos os cidadãos torna ainda mais importante que a pessoa tenha um bom desempenho no manuseio da arma. “Sabemos que a procura pelo curso de tiros até pode aumentar por causa disso. Muito embora já houve um aumento desse público, na década de 90. Me recordo que havia fila esperando vaga para fazer o curso. Porém, o que desejamos de fato que aconteça é que o tiro esportivo fique mais popular. Ele não é um esporte elitizado”, pontuou Ivan.

Antes de iniciar a prática do curso de tiro ainda é necessário que a pessoa interessada se submeta a exame psicotécnico e por uma avaliação teórica.

multi clube de tiro ivan

PRÁTICA ESPORTIVA
Qual modalidade de tiro você quer aprender?

Quem quer praticar o tiro esportivo já pode saber que atualmente são quatro categorias: pistola, carabina, tiro ao prato e alvo móvel. No tiro com pistola, há a divisão em quatro categorias: alvo móvel, pistola livre, pistola de ar e tiro rápido. Nas competições, só pode ser disparada com uma das mãos por ser uma arma curta. O alvo pode estar a 10m, 25m ou 50m de distância do atirador.

Já no tiro com carabina a modalidade é praticada com uma arma de cano longo e, por isso, permite o uso das duas mãos. Para conseguir a pontuação máxima, o atirador deve atingir o alvo desenhado em volta de círculos.

Se realizada em pé, a distância do ponto deve ser de 10m ou 50m. Já na posição deitada, precisa estar distante 50m. Essa última categoria, no entanto, é disputada apenas por homens.

Uma das modalidades mais conhecidas do público é o tiro ao prato e ela tem duas variações. Na fossa olímpica, por exemplo, o atirador tem cinco posições de disparo e deve acertar o prato com dois tiros. Na modalidade skeet, são oito posições diferentes. Vence quem atingir o maior número de pratos. 

multi clube de tiroNo alvo móvel, que é uma das modalidades de tiro esportivo mais praticada no Brasil, o alvo se desloca em um espaço de 2m e o atirador conta com 30 tiros na velocidade lenta e mais 30 tiros na velocidade rápida para atingi-lo.

Vale destacar que Mogi Guaçu já sediou campeonatos renomados nacionalmente de tiro esportivo em anos anteriores. “São competições interessantes e que fortalecem essa pratica esportiva no Brasil. Sem contar que o ambiente no clube de tiros é de muita união, disciplina, segurança e respeito”, concluiu Ivan.

 

Post anterior

Jardim dos Lagos: estado é de abandono e risco de dengue

Próximo post

Idosos e deficientes têm nova chance de cadastro no CadÚnico