Home»Destaque na Home»Caveanha quer dividir índice da inflação em duas vezes

Caveanha quer dividir índice da inflação em duas vezes

Sindiçu agendou um panelaço na próxima segunda-feira (1º) para mostrar a insatisfação da categoria com a proposta

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

As negociações entre a Prefeitura de Mogi Guaçu e o Sindiçu (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mogi Guaçu e Região) para definição do reajuste salarial da categoria não avançaram. Na última reunião, realizada nesta semana, os secretários da Fazenda, Roberto Simoni, e de Negócios Jurídico, Fábio Bueno, informaram ao presidente do Sindiçu, Valdomiro Sutério, o Miro, que o prefeito Walter Caveanha (PTB) aceitou repassar para os servidores o índice da inflação de 3,94%, mas de forma parcelada. O repasse de 2% de reajuste seria a partir de março, data base da categoria, e os outros 1,94% em setembro. O Sindiçu pediu 11% de reajuste, sendo o repasse da inflação, mais as perdas dos anos anteriores mais aumento real.

“Fui informado pelos secretários sobre essa situação e já informei a eles que não aceitamos o reajuste desta forma. Pode até ser que o servidor aceite o índice proposto, mas não parcelado. Já ficamos sem aumento no ano passado e não podemos ser novamente penalizados”, comentou Miro ao informar que o prefeito não participou das negociações, assim como já havia acontecido no ano passado. “Já viu um patrão que não fala com o funcionário?”, indagou o presidente do Sindiçu.

Ele disse que nenhuma das propostas foi aceita pela Prefeitura, que quer manter o acordo do ano passado, principalmente com relação ao banco de horas e o pagamento das horas extras. “Eles querem manter o que já vem fazendo, ou seja, paga o que eles acham que deve pagar”, queixou-se Miro.

Miro
Miro

Sobre qual justificativa foi dada pelos secretários para o parcelamento da inflação, Miro disse que nenhuma. “O Roberto (Simoni) fala que não é possível e não apresenta nenhum argumento concreto”.

Por conta da falta de acordo, a direção do Sindiçu tem convocado os servidores públicos para que eles compareçam à Câmara na próxima segunda-feira (1º), a partir das 17h00. Um informativo tem sido divulgado aos servidores com o título “Prefeito oferece 0% de aumento real e ainda quer parcelar o repasse da inflação”.

No informativo há uma explicação sobre a tentativa de acordo com a Prefeitura referente ao reajuste salarial e faz críticas a Administração Municipal. “As negociações durante a campanha salarial, via de regra, não são nada fáceis. E quando se tem pela frente uma administração que não valoriza o trabalhador as coisas ficam pior ainda”.

Miro reforçou que o panelaço marcado para a segunda-feira tem o objetivo de mostrar para a Prefeitura o posicionamento da categoria. Além disso, eles buscam apoio dos vereadores, uma vez que ele teme que o prefeito envie o projeto que autoriza o reajuste para aprovação, mas sem o consentimento dos servidores. “Vamos mostrar a nossa força e que não aceitamos a proposta. Vamos pressionar o prefeito a atender nossas reivindicações e atender a uma comissão de servidores”.

O presidente do Sindiçu ressaltou que a equipe do prefeito não pode justificar falta de recursos, pois a folha de pagamento de dezembro atingiu o índice de 47,5%, sendo que a lei de responsabilidade fiscal estabelece teto máximo de gasto de 54%. “Ele (prefeito) diminuiu as despesas com a folha, não tem pago as horas extras. Então, esse não pode ser o motivo da falta e aumento real para o servidor”, destacou Miro.

Vale ressaltar que os servidores de Mogi Guaçu não tiveram reajuste salarial no ano passado. A Prefeitura, via assessoria de imprensa, informou que “a proposta de conceder reajuste salarial pelo índice da inflação em duas parcelas considera as dificuldades financeiras e o fluxo de caixa da Administração Municipal em face da crise econômica que ainda persiste”, após questionamento da reportagem.

Post anterior

Tome Nota da edição de sábado, dia 30

Próximo post

Escola é interditada e alunos vão para Fimi