Home»Destaque na Home»Casal é rendido após venda on line e bandidos levam celulares

Casal é rendido após venda on line e bandidos levam celulares

Aparelhos foram anunciados em diversos grupos de rede social; negociações são feitas por meio de perfil falso

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Um casal de Mogi Guaçu, que preferiu não se identificar, viveu momentos de desespero no último dia 19 durante uma entrega de aparelhos de celular, na Vila Dias, em Mogi Mirim. Isso porque, eles foram surpreendidos por dois criminosos, sendo que um deles estava armado. A mulher relatou à Gazeta que tudo começou na internet, onde ela e o esposo anunciaram em diversos grupos a venda de dois celulares seminovos.

Na manhã do dia 19, um usuário da rede social, com uma foto de um casal no perfil, mandou mensagem particular dizendo que queria comprar os aparelhos. O interessado fez questionamentos como, por exemplo, se os celulares tinham nota fiscal e se estavam funcionando bem, demonstrando ser uma pessoa acima de qualquer suspeita. Com isso, eles deram início na negociação e acabaram fechando o negócio. “O suposto casal que fez a compra pediu para nós entregarmos os produtos para eles em Mogi Mirim e como a gente já fez isso outras vezes nós achamos normal”, relatou a vítima que disse que o comprador demorou a enviar o endereço.

O endereço consultado foi apontado como sendo na Vila Universitária. “Eu sou de Mogi Mirim e já achei estranho porque eu nunca tinha ouvido falar neste bairro, mas como tem muito bairro novo deixamos passar”. Ainda no mesmo dia, no período da noite, por volta das 20 horas, o casal de Mogi Guaçu foi até a cidade vizinha para realizar a entrega, neste momento a mulher disse que começou a desconfiar da situação.

Isso porque, quando eles chegaram em Mogi Mirim o aplicativo começou a direcionar o casal para rotas estranhas. No bairro do Mirante, eles pararam em um posto de combustível para conferir novamente o endereço, sendo que quando retomaram o caminho acabaram parando em uma casa na Vila Dias. “Só que antes, o comprador perguntou do que a gente ia e meu marido questionou o porquê, e ele disse que era porque ele ia olhar na câmera quando a gente chegasse”. Na casa da Vila Dias, o casal bateu palma e foi atendido por um senhor que disse que desconhecia a compra de celular e que deveria ser a pessoa que morava na casa do fundo. “Aí a gente desconfiou porque ali não tinha nenhuma câmera”.

Neste momento, marido e mulher foram surpreendidos e rendidos por dois indivíduos que chegaram em uma moto, aparentemente uma Honda CG Titan de cor escura. Um deles desceu armado e passando as mãos nos braços do homem questionou sobre os celulares. “Ele falava gritando cadê, cadê? Vai dá logo, e eu assustada falando não, por favor, calma e entreguei os aparelhos para eles que fugiram logo depois”.

Além do perigo que correram, o casal ainda teve um prejuízo de cerca de R$ 1,5 mil ao terem os celulares roubados. A mulher confidenciou que foi uma experiência horrível e sentiu muito medo, já que o ladrão armado aparentava estar ansioso e aflito. “Por um instante tive a sensação de que ele estava portando uma réplica, mas como iríamos arriscar? Se déssemos um passo em falso e se fosse uma arma de verdade poderíamos estar mortos”.

Depois do assalto, o casal chamou a Guarda Civil Municipal, porém os criminosos não foram localizados e o casal não registrou um Boletim de Ocorrência do caso. Diante dos momentos de horror que viveu junto com o marido, a vítima deixou um alerta a quem faz vendas pela internet. “Desconfie de todos, pois hoje em dia infelizmente ninguém é confiável e marquem entregas em lugares públicos como praças de alimentação em shoppings”, relatou.

SEGURANÇA

Delegado orienta sobre compras e vendas pela internet

 O delegado de Polícia Civil de Mogi Guaçu, Alessandro Serrano Morcillo, alerta que ao negociar uma compra ou uma venda de aparelhos pela internet é necessário pegar todos os dados da pessoa com que está negociando como nome, RG, CPF, endereço de residência, endereço de trabalho, local onde estuda e telefone fixo. No caso de quem vai receber uma entrega ainda é orientado pegar o emplacamento do veículo automotor que a pessoa usará para levar o objeto. “De posse de tais dados, faça uma pesquisa na internet para verificar se as informações são verdadeiras, ligando, inclusive, para as referências para ter certeza do que foi passado”.

No caso de vender algum produto e o comprador solicitar a entrega como aconteceu com o casal vitimado, o vendedor deve realizar essa entrega em locais seguros. “Combine o encontro em um lugar público, onde haja movimentação de pessoas, segurança particular e estacionamento cercado com controle de entrada e saída de veículos”.

Morcillo ainda ressalta que, mesmo sendo em local público, a pessoa deve ir acompanhada durante a entrega. “Se for possível se desloquem usando mais de um veículo”. Assim, caso algo aconteça, fica mais fácil a outra pessoa sair para pedir por socorro de forma mais segura”.

Com relação ao pagamento de negócios feitos na internet, o delegado ressalva que o melhor a se fazer é usar o cartão de crédito. “Pois em caso de golpe fica mais fácil sustar o pagamento”, sugeriu ao também orientar que seja solicitado ao vendedor o número de IMEI do aparelho que tem 14 números constantes da caixa do aparelho. “Com este número faça uma consulta no site da SSP que vai apontar se existe algum bloqueio de furto ou roubo”.

O site da SSP é o www.ssp.sp.gov.br/servicos/celulares.aspx. O IMEI também pode ser descoberto discando do próprio aparelho celular os seguintes caracteres: * # 06 #. O delegado finaliza enfatizando que sempre que o preço do objeto estiver abaixo da média deve haver desconfiança.

 

Previous post

Posto de combustível é assaltado durante a madrugada - Veja Vídeo

Next post

Artigo: Férias, sim. Bagunça, não!