Home»Cidade»Carteiros entram em greve por tempo indeterminado

Carteiros entram em greve por tempo indeterminado

Adesão à greve é parcial; sindicalista estiveram na cidade

1
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Parte dos carteiros locais cruzou os braços, aderindo ao movimento grevista de âmbito nacional. A paralisação teve início na manhã de hoje (16). O CDD (Centro de Distribuição Domiciliar) dos Correios têm 48 carteiros na operação e outros oito na gestão. De acordo com representantes do Sintect/CAS (Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos de Campinas e Região), 1/3 dos funcionários aderiu ao movimento.

A categoria reivindica reajuste integral no percentual de 12% mais reposição da inflação, aumento real de R$ 300 e vale cesta de R$ 400. Outro pedido é a incorporação das gratificações ao salário. Em março deste ano, os carteiros fizeram uma paralisação por dois dias.

“Também estamos sofrendo um ataque brutal no nosso convênio médico. Querem cobrar mensalidade e outros valores para consultas e exames. No meu caso, por exemplo, que sou eu e minha pessoa, pagaria R$ 260 mensais”, comentou o diretor do Sintect, Hernandes Alves Nascimento.

O sindicalista enfatiza que a categoria não aceita a proposta da ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) de gratificação de R$ 150 retroativa a agosto e outros R$ 50 para janeiro de 2016. O piso da categoria é de R$ 1.134,00. “Estes R$ 150 são referentes ao ano passado”, diz Nascimento, salientando que as negociações já ocorrem há dois meses.

No caso de Mogi Guaçu, ele diz que o efetivo de carteiros é pequeno para o tamanho do município e que seria necessário, no mínimo, mais 10 trabalhadores. Com isto, segundo o sindicalista, os carteiros não têm folga, trabalhando aos fins de semana e feriados. Como apenas 1/3 aderiu ao movimento grevista, os sindicalistas falaram aos demais da porta do CDD e convocaram a todos para a paralisação. “Muitos deixam de aderir com medo nos descontos nos salários, mas precisamos chamar a responsabilidade para todos”, justifica Nascimento.

A ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) não ofereceu percentual de reajuste salarial, acenando com 9,56% no vale refeição/alimentação: 9,56%, reembolso creche, incorporação da gratificação no valor de R$ 100 (abono) em janeiro de 2016.

Greve Correios Hernandes Sindicato

Post anterior

Casa com 3,9 Kg de droga servia de 'laboratório'

Próximo post

Corpo encontrado em córrego é identificado