Home»Destaque na Home»Cão é encontrado queimado no Canaã

Cão é encontrado queimado no Canaã

A suspeita é de que o animal tenha sido queimado ainda vivo, mas exame não pode ser feito por falta de recursos da Kapa

1
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Um cão vira-lata foi encontrado queimado na manhã de quinta-feira (20). Uma protetora voluntária que mora no Jardim Canaã foi quem encontrou o animal. Ele foi deixado próximo à Avenida José Rodrigues Neto. O animal não tinha dono e perambulava pelas ruas do bairro.

A vice-presidente da Kapa (Kamael Associação Protetora dos Animais), Valdirene de Souza Floriano, suspeita que o animal tenha sido queimado ainda vivo. “Quero acreditar que não, mas muito provavelmente isso aconteceu porque perto de onde o animal estava é um lugar frequentado por usuários de entorpecente e já foram vistos fazendo esse tipo de coisas (maus-tratos) com animais”, comentou a protetora.

Valdirene informou que o animal foi enterrado sem autópsia, uma vez que o exame é caro e a Associação não dispõe de recursos para custeá-lo. Funcionários da Secretaria de Serviços Municipais foram acionados para a remoção do animal pelo local.

cachorro queimado canaa“Fico muito triste e angustiada se realmente ele tiver sido queimado vivo. Ultimamente temos visto muito mais casos de maus-tratos. Isso sempre existiu, mas agora é mais visível, talvez por causa da internet, WhatsApp. Saber que tem pessoas que fazem isso, que é capaz de atrocidades como essa só me dá energia para lutar pelos animais”, desabafou Valdirene.

Ao se deparar com situação de maus-tratos, a orientação dos protetores é que a testemunha acione imediatamente as forças policiais. “Não podemos ser coniventes e achar que isso é normal, porque infelizmente faz parte da cultura de algumas localidades. Temos que denunciar”, conclui Valdirene.

As denúncias podem ser feitas à entidade Kapa, à Guarda Civil Municipal (Disque 153) ou ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) pelo 3831-7421. A coordenadora do órgão, Silvana Munhoz Bueno, informou que de janeiro até o dia 20 desse mês foram registradas 108 denúncias de maus-tratos contra gatos, cavalos e principalmente cachorros.

Assim que a denúncia chega, uma visita de averiguação é feita para que se determine as providências, seja de resgate do animal ou prazo de adequações a serem feitas pelos donos.

 

Sofrimento

Nesse ano, a Gazeta noticiou alguns casos de violência contra animais. Em maio, 12 cães foram abandonados em uma chácara no bairro Nova Mogi Guaçu. Um deles chegou a morrer de fome. Outros 16 gatos de uma residência no Jardim Canaã foram envenenados. Já no mês de junho, um cão morto e outro debilitado foram resgatados de uma residência no Jardim Itamaraty. O laudo consta que o animal morto aparentava anemia profunda provavelmente por passar fome. O outro continua internado em clínica veterinária e está recebendo tratamento para a cura da sarna, desnutrição, anemia e se livrar de carrapatos.

Outro cachorro foi esfaqueado, no Jardim Santa Terezinha, também em junho. Ele foi encontrado na rua com um corte profundo no pescoço e outro próximo ao rabo. Ele continua internado.

Nesse mês, um poodle foi esfaqueado no Jardim Eldorado. A perfuração atingiu a costela e músculos. Ele continua se recuperando no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Post anterior

Artigo: Prestação de contas do PSDB

Próximo post

Prefeita entrega avenida e prédio da GCM