Home»Cidade»Camelôs são notificados a deixar local

Camelôs são notificados a deixar local

Meta da Administração Municipal é revitalizar o espaço para a realização do Natal do Luz, que ocupa todo o Parque dos Ingás

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

É aguardado para o início do mês de agosto o desfecho da novela que tem como personagens os camelôs do Parque dos Ingás e a Administração Municipal. Isto porque, os camelôs foram notificados no último dia 18 a deixar o local em 15 dias, ou seja, até 1º de agosto. O projeto da Administração Municipal é de revitalizar a área visando às atividades do Natal Luz.

Antes da notificação, os camelôs assinaram um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) e que se comprometiam a desocupar espontaneamente a área. Mas como não cumpriram com o acordado em documento, houve a notificação. “Eles não têm autorização para trabalhar no local e, além disso, a maioria comercializa coisas ilegais”, explica a secretária municipal de Segurança, Judite de Oliveira. Ela se referiu a venda de várias mídias como CDS e DVDs.

Judite disse ainda que está providenciando levantamento do número de apreensões realizadas no local. “Desta última vez tinha até mercadoria escondida na caixa de luz”, exemplificou. Segundo a secretária, há seis boxes disponíveis no Terminal Rodoviário do Parque dos Ingás, mas os camelôs não aceitam a mudança. “Alegam que o aluguel é caro”, detalha.

barracas ambulantes parque ingasAntecedendo a assinatura do TAC, os camelôs estiveram em reunião com os secretários de SSM (à época ainda Osvaldo Cesar Osório), Cultura (Luiz Carlos Ferreira) e Segurança. Neste encontro, os secretários apontaram os projetos para a área e reforçaram que os camelôs não têm autorização de uso da área.

A Gazeta conversou com um dos camelôs que adiantou que o grupo, cerca de oito, não pretende deixar o local sem que a Administração Municipal aponte uma nova área para se fixarem. “Estamos aqui há mais de seis anos. Um ano e um dia em um local público nos permite ficar e sair apenas com reintegração de posse”, disse um dos camelôs, demonstrando ter ido atrás de seus direitos.

A alegação é de que todos que estão ali não têm condições de pagar pelo aluguel cobrado no Terminal do Parque dos Ingás. E até mesmo concordam que a acomodação de onde estão é feia e admitem problemas à noite quando as barracas servem de acomodação para andarilhos. Por outro lado, pedem que a Prefeitura os instale em um local adequado, na região central, por exemplo, em quiosques.

Post anterior

Quatro times buscam duas vagas na semi

Próximo post

Sede do Samae passa por adequações