Home»Caderno Multi»Cadernos com personagens: os mais vendidos

Cadernos com personagens: os mais vendidos

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Unicórnio, Marie, Minie, Mickey, Ladybug, Assassin´s Creed, Game Of Trones, The Avengers e Simpsons são alguns dos personagens que ilustram as capas de cadernos e são os preferidos da garotada. Há linhas apenas com estampas, ou seja, sem personagens. Mas, os lojistas admitem que, apesar de serem mais acessíveis, não são as preferidas. A notícia boa é que, em relação ao ano passado, os preços não tiveram grandes alterações.

Como a maioria das escolas privadas disponibilizou a lista de material escolar ainda em dezembro do ano passado, já houve pais que anteciparam as compras. Mas os lojistas garantem que não haverá alteração de preços para aqueles que irão às compras, agora, a partir deste mês. Isto porque, os materiais disponíveis em estoque foram comprados até mesmo antes do último trimestre de 2017.

ATRATIVO

Mochilas em liquidação

 

O gerente da Abecedarium, José de Almeida decidiu colocar as mochilas escolares em liquidação. Há peças a partir de R$ 50 e os preços valem até que durarem os estoques. Ele conta que a maioria dos estudantes compra também mochila nova no início do ano letivo. Com isto, é uma forma de atrair a clientela.

José de Almeida diz que as mochilas são para atrair clientela
José de Almeida diz que as mochilas são para atrair clientela

Mas ele garante que há uma grande variedade de marcas de caderno, por exemplo, com preços igualdade variados. O mesmo vale para as demais linhas de produtos, sendo que as marcas paralelas são aquelas que costumam ter preços mais atrativos. “E de qualidade muito boa”, acrescenta o gerente. Ele atenta que também vende livros paradidáticos e didáticos, produtos que também são tão procurados quanto os cadernos.

Mas basta dar uma passada pela prateleira de cadernos para ver a variedade de capas. Haja personagem. E, claro, os preferidos da garotada são aqueles que estão na tela da TV ou mesmo nos cinemas. E eles estão lá, nos cadernos dos mais variados tamanhos. “Tem empresa que lançou o 10 matérias com 160 folhas”, diz observando que eram mais tradicionais os modelos com 200 folhas. Para Almeida, esta foi a forma encontrada pelas empresas para baratear preço. No entanto, atenta que há linhas com capas bonitas, preços mais acessíveis e mesma qualidade.

mochilas papelaria abecedarium

PREÇO

Diniz observa que materiais tiveram pequenos reajustes

 

Proprietário da Lipel, Gilberto Cândido Diniz, conta que quem antecipou as compras encontrou a loja com menos movimento. Isto no mês de dezembro. Mas este cenário começa a mudar este mês. E este ano é preciso considerar ainda que muitas escolas retornam às aulas no próximo dia 22.

Diniz aguarda por um movimento maior e está preparado com novos produtos  
Diniz aguarda por um movimento maior e está preparado com novos produtos  

Quanto aos preços, Diniz também disse que não viu grandes alterações nos valores dos materiais, exceto o repasse do aumento do papel que ficou entre 5% e 8%. “Lápis de cor, canetinhas, giz de cera conseguiram manter o mesmo valor”, acrescenta observando que os demais itens tiveram diferenças muito pequenas.

Não é preciso andar muito pela loja para ver que o investimento em cadernos foi grande. Isto porque, o proprietário diz que a procura é igualmente significativa. Afinal, nenhum estudante vai comprar apenas um caderno. E, claro, as capas são as “vedetes” da temporada de volta às aulas.

Os personagens são muitos e variados, agradando desde os matriculados no ensino fundamental I e II ao ensino médio. Em um rápido olhar pelas prateleiras se vê Homem Aranha, Minecraft, Simpsons, The Avengers que fazem a cabeça dos meninos. Os queridinhos das adolescentes este ano são os Unicórnios. As menores ainda preferem Marie e Sissi, gatinhas delicadas que estampam este “mundo rosa” das meninas.

E estas estampas se repetem nas mochilas e estojos. Tudo combinando para a volta às aulas.

papelaria lipel

EM 2017

Com lista de material escolar em mãos, pais antecipam as compras

 

A pequena Isabella de Oliveira Balbino já escolheu os cadernos para o ano letivo de 2018. Isto em dezembro de 2017. Matriculada no 5º ano do ensino fundamental na Feg (Fundação Educacional Guaçuana), a lista entregue no final do ano letivo facilitou a ida antecipada às compras.

Isabella acompanhou a mãe durante a compra do material escolar
Isabella acompanhou a mãe durante a compra do material escolar

Aquela dica de reaproveitar os materiais de 2017 é posta em prática pela família. A mãe de Isabella, Andreia Ribeiro de Oliveira conta que consegue negociar com a filha e que a menina não costuma colocar empecilhos. Até mesmo na papelaria, elas conseguiram fazer as compras de forma tranquila.

Isabella escolheu cadernos com as capas de Marie, Minie e Sissi. Este último personagem estava com valor mais em conta que os demais. Por isso, a estudante levou mais unidades deste modelo. E a mochila de 2018 também será novinha. Agrado extra para a excelente aluna. 

Indo às compras

 Da Redação

 Dicas

– Nem sempre o material mais sofisticado é o de melhor qualidade ou o mais adequado. Evite comprar materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados, porque geralmente os preços são mais elevados. A publicidade exerce grande influência sobre crianças e adolescentes;

 

– Antes de sair às compras, verifique quais os itens que restaram do período letivo anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los. Em seguida, faça uma pesquisa de preços em diferentes estabelecimentos;

 

– Algumas lojas concedem descontos para compras em grandes quantidades, portanto, sempre que possível, reúna um grupo de consumidores e discuta sobre essa possibilidade com os estabelecimentos;

 

– Fique de olho nas embalagens de materiais como colas, tintas, pincéis atômicos, fitas adesivas, entre outros, que devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor.

 

É importante esclarecer que a escola não pode:

 

– Solicitar a compra de materiais de uso coletivo, tais como material de higiene e limpeza ou taxas para suprir despesas com água, luz e telefone;

 

– Exigir a aquisição de produtos de marca específica; determinar a loja ou livraria onde o material deve ser comprado.

 

 

Fonte: Procon-SP

Post anterior

I Copa de Basquete tem início neste sábado

Próximo post

Tome Nota