Home»Cidade»Cadastro positivo valoriza o bom pagador

Cadastro positivo valoriza o bom pagador

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Sancionada no início deste mês pelo presidente Jair Bolsonaro, a nova lei do Cadastro Positivo tem entre os seus principais impactos para o mercado de crédito brasileiro a inclusão automática de consumidores no banco de dados com informações de pagamento. A expectativa é que neste novo modelo inclua aproximadamente 120 milhões de consumidores, dos quais cerca de 22 milhões são pessoas que atualmente não têm acesso ao crédito. 

De acordo com o superintendente da Acimg (Associação Comercial e Industrial de Mogi Guaçu), Adenilson Junior dos Reis, o cadastro positivo valoriza o bom pagador e, em especial, àquele que não tem conta em banco e enfrenta dificuldades em obter financiamento ou comprar parcelado. “É aquela pessoa que paga tudo em dia, incluindo as contas de água, energia e telefone, mas não tem como comprovar porque estes gastos não eram considerados. Não havia histórico”, exemplifica sobre a mudança de regras para a concessão de crédito.

Apesar de ter sido criado em 2011, o Cadastro Positivo não atraiu um grande número de pessoas, porém, agora, a inclusão é automática. A expectativa é de que a adesão ao sistema baixe os juros e amplie o crédito. O superintendente frisa que, com este novo sistema, aquele que não tem conta em banco e não tem cartão de crédito, mas paga as contas em dia, terá oportunidade de ter acesso a um financiamento. “É uma forma de valorizar o bom pagador”, pontua o superintendente, atentando que esta inclusão se dá pelo número do CPF.

Até o dia 8 de junho, ou seja, pelo período de três meses é o prazo que a lei entra em vigor. A partir desta data, o sistema começa a ser alimentado pelos chamados birôs de crédito, por exemplo, Boa Vista SCPC, Serasa e SPC Brasil. “Com isto, passam a existir as consultas aos cadastros positivos e negativos”, adianta Adenilson. Atualmente, 22 milhões de brasileiros não têm conta em banco. Quem não quiser estar incluído no Cadastro Positivo pode pedir a exclusão por meio dos birôs de crédito.

Acredita-se ainda que esta medida incentivará a população a pagar as contas em dia, pois ela se beneficiará com a postura. Além disso, as pessoas se motivarão a não participar do cadastro de inadimplentes ou sair dele.

 adenilso associacao comercial

DADOS

Os birôs de crédito terão acesso a dados restritos como: contas básicas: água, energia, telefone, pagamentos com cartão de crédito e pagamentos de empréstimos. Porém, as empresas não terão acesso aos sigilos bancário e financeiro do consumidor. O acesso aos dados ficará restrito ao valor que foi contraído na operação, o prazo total para realizar o pagamento e se ele está sendo feito dentro do cronograma.

Quem for incluído no Cadastro Positivo receberá um comunicado sobre a inclusão. Quem não quiser participar, precisará solicitar a um dos birôs de crédito sobre a remoção dos dados. Este birô terá que informar aos outros, que também precisarão remover o cadastro do consumidor.

Post anterior

Tribunal de Contas alerta Prefeitura por situação fiscal

Próximo post

Saúde licita transporte coletivo de pacientes e PNEs