Home»Artigos»Artigo: Moro encrencado

Artigo: Moro encrencado

0
Shares
Pinterest WhatsApp

O então juiz Sérgio Moro era, em 2016, endeusado. No carnaval do Recife bonecos enormes dele desfilavam pelas ruas da cidade. Ficou ainda mais famoso com a condenação de Lula. Com a eleição de Jair Bolsonaro, ele se tornou Ministro da Justiça. Agora, com a invasão de hackers no seu celular, houve a divulgação de conversas comprometedoras dele.

O Estadão, na matéria “Ministros do STF e do STJ falam vazamento “grave”, publicou: “Para um ministro do STF, trechos expostos pelo site The Intercerpt Brasil com suposta sugestão de Moro e Dallagnol para que trocasse a ordem de fase da Lava Jato e desse celeridade (sic) em fases da operação são “muito graves” (sic)”. Segundo a jornalista Vera Magalhães, em texto no mesmo jornal, “E, o ex-todo-poderoso Moro sangrou pela primeira vez”. Já Ranier Bragon, em artigo publicado na FOLHA, observa: “Sete meses após “pendurar” a toga, Moro vê cair a capa de juiz imparcial”.

 A OAB recomenda afastamento temporário de Moro e Deltan após o vazamento de conversas”. Em Editorial a FOLHA opina: “Quem acompanha a movimentação de juízes, policiais e procuradores desde que se instalaram as mais ambiciosas e bem sucedidas operações anticorrupção no Brasil não se surpreendeu, infelizmente (sic) com a revelação da proximidade, às raias da promiscuidade (sic), entre o então magistrado federal Sérgio Moro e investigadores da Lava Jato. (…) Não é forçando (sic) limites da lei que se debela a corrupção. Quando o devido processo não é estritamente seguido, só a delinquência vence”.

O Estadão, em editorial sob o título “Muito a esclarecer”, analisou essas conversas de Moro. O jornal afirma: “Causou compreensível estupefação (sic) o conteúdo de conversas atribuídas a integrantes da força-tarefa da Lava Jato e a Sérgio Moro, então juiz responsável pelos processos relativos à operação e hoje ministro da Justiça. Se as mensagens forem verdadeiras [Moro as confirmou!], indicam uma relação totalmente inadequada – e talvez ilegal – entre o magistrado e os procuradores da República, com implicações políticas e jurídicas ainda difíceis de mensurar. Por muito menos, outros ministros já foram demitidos (sic)”. Adiante: “Presume-se que os efeitos políticos da divulgação dessas conversas serão graves (sic). Não é possível ficar indiferente à suspeita, levantada pelas mensagens, de que o então juiz Sérgio Moro pode ter dado orientações (sic) ao procurador Deltan Dallagnol, responsável pela Lava Jato, em casos relativos à operação. Como explicou o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, “a troca de mensagens entre juiz e Estado acusador tem de ser no processo (sic), com absoluta publicidade”, e não por meio privados (sic), sugerindo a intenção de trabalhar em parceria – o que seria gritante desvantagem para a parte acusada.” O Estadão termina assim o Editorial: “Se Sérgio Moro continuar a dizer que é normal o que evidentemente não é (sic), sua permanência no governo vai se tornar insustentável. Fariam bem o ministro e os procuradores envolvidos nesse escândalo, o primeiro, se renunciasse e, os outros, se afastassem da força-tarefa, até que tudo se elucidasse”. Os envolvidos terão essa grandeza? A Conferir.

A VEJA publicou na capa a foto de Moro com a legenda: DesMOROnando – Diálogo comprometedores (sic) com o Ministério Público, com claras transgressões (sic) à lei, desconstroem a imagem de Sérgio Moro, o grande herói da Lava-Jato.

Um fato é inegável: a imagem de Moro saiu arranhada! Mesmo assim, ele continuará como Ministro da Justiça, com o apoio do presidente Jair Bolsonaro e dos bolsonaristas fanáticos.

 

Jasson de Oliveira Andrade é jornalista em Mogi Guaçu

 

Previous post

Jovem morre após usar tíner em churrasqueira

Next post

Presidente da Câmara cobra fiscalização por parte da Prefeitura