Home»Artigos»Artigo: Mensagem de Natal 2018

Artigo: Mensagem de Natal 2018

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Os incipientes ornamentos colocados sobre a nossa tradicional ponte de ferro, marco centenário de nossa cidade, seguidos por outros localizados nos principais logradouros comerciais, principalmente na Rua José Pedrini e adjacências, demonstram que o espírito natalino já pairava sobre Mogi Guaçu enchendo nossos corações de santa expectativa.  Porém, ainda era mês de novembro, para ser mais preciso primeiros dias de novembro. Não importa. Os grandes acontecimentos têm de ser planejados com antecedência, para que tenham a grandiosidade que deles se espera.

O Natal não é a data máxima da Cristandade? Então, sua comemoração tem que ser agendada e arquitetada minuciosamente, para que tenha o brilho e o esplendor que dela se espera. A proximidade do Natal tem o condão de aturdir um pouco as nossas mentes, de confundir ligeiramente nossa memoria.

Por um lado, a figura doce, a expressão jovial do Papai Noel, pronto para distribuir presentes àqueles que se comportaram bem durante o ano ou que enviaram solícitas cartinhas, fazendo seus inocentes pedidos, quase sempre escritas pelas mamães ou titias.

Por outro lado, a figura pueril, infantil, rostinho róseo, cabelinhos cacheados do Menino Jesus, que, conforme aprendemos na escolinha paroquial, nas aulas de catecismo, era Deus que se fez Homem, para redimir a Humanidade. Que gostoso relembrarmos as figuras do presépio!

Natal… Natal…Natal…

Para a indústria, o comércio e os prestadores de serviços e de bens de consumo, o Natal é a esperança de fechar o ano no azul, isto é com os balancetes apresentando resultados satisfatórios!

E para nós cristãos, crentes, e se o somos é porque cremos na existência de Deus. Crentes, pois acreditamos nos ensinamentos da Sagrada Escritura. E, como crentes o que temos a comentar a respeito do Natal? Nosso balancete é positivo? Demos de comer àquele que teve fome? Demos de beber a quem teve sede? Amparamos o inválido? Promovemos o desassistido? Consolamos os aflitos? Praticamos a Justiça e a Caridade?

Cumprimos nossos deveres de cidadãos? De autênticos Cristãos?

Natal é tempo de reflexão, é tempo de por a casa em ordem, é tempo de novos propósitos, de novas atitudes.

Falamos do Papai Noel.

Falamos do Menino Jesus.

Parecem figuras conflitantes.

Porém, com inteligência e bom senso veremos que se complementam. Papai Noel representa a opulência, a felicidade efêmera, passageira, transitória, fugaz…

O Menino Jesus, o Cristo Redentor, o Filho de Deus, inspira-nos a expectativa de um novo porvir, uma nova aliança, a certeza de uma felicidade espiritual, duradoura, eterna…

É fácil concluir que Papai Noel representa o material e o Menino Jesus, o espiritual. Assim sendo, invocando o Papai Noel, desejamos fartura, bem estar, conforto, progresso, opulência, realização econômica, social e profissional.

Se nos inspirarmos na Doutrina Cristã, almejamos que o Natal do Menino Jesus possa infundir em nossas almas, sentimentos profundos de compreensão, amor, carinho, caridade, solidariedade, perdão, fraternidade e a busca constante da paz de espirito, e aspiração continua de bem aventurança eterna.

Auguramos que ambos, Menino Jesus e Papai Noel nos proporcionem um Feliz Natal!

 

Sebastião Pinto é cirurgião dentista e membro do Lions Clube

Post anterior

Verão chega com expectativa de mais chuva

Próximo post

Artigo: Sem perder a esperança