Home»Artigos»Artigo: Bolsonaro e a Ditadura (Tortura)

Artigo: Bolsonaro e a Ditadura (Tortura)

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Bolsonaro fez um pronunciamento à favor da Ditadura e da Tortura e conseguiu descontentar até amigos e apoiadores! Incrível! O Estadão assim noticiou mais essa gafe de Bolsonaro: “A versão dada ontem [29/7] pelo presidente Jair Bolsonaro para o desaparecimento do militante de esquerda Fernando Augusto Santa Cruz morto em 1974 durante o regime militar, provocou reação de juristas e entidades ligadas à anistia e direitos humanos. Em entrevista pela manhã, Bolsonaro disse que poderia “contar a verdade” sobre o caso., afirmando que Oliveira – pai do atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Felipe  Santa Cruz – teria sido morto pelos próprios colegas do grupo Ação Popular (AP). No passado, a Ditadura afirmou que Herzog havia se suicidado. Posteriormente, ficou provado, que ele foi torturado até a morte. Bolsonaro tenta uma versão parecida!

Adiante o jornal revela: “Um dos autores do pedido de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff,, o jurista Miguel Reale Jr. afirmou que Bolsonaro tem de prestar contas das suas afirmações à Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos”. Adiante o ex-ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso, afirmou: “Para ele [Bolsonaro]  não houve a Constituição de 1988 e a anistia. O caso dele não é de impeachment, mas de interdição. É uma pessoa que a cada dia prejudica a si próprio. Ele tem de ser protegido. A característica do louco (sic) é essa: prejudicar a si mesmo”. José Gregori, ex-secretário de governo tucano, disse: “Bolsonaro se insurgiu contra a lei que foi aceita pelas Forças Armadas. Ele está indo contra uma lei que é uma decisão soberana da nação brasileira”. Para Gregori, enquanto o presidente falava “amenidades sem sentido”, isso era visto como folclórico. “Enquanto eram amenidades, o Brasil estava rindo, mas agora é sério. É preciso que se tomem medidas judiciais”.

O Estadão ainda noticiou. “DORIA – Aliado de Bolsonaro nas eleições do ano passado [O lema dele era: Bolsodória], o governador Joáo Dória (PSDB), cujo pai foi exilado político, também criticou a fala do presidente. “É inaceitável (sic) que um presidente da República se manifeste da forma que se manifestou. Foi uma declaração infeliz”, afirmou Dória, em evento no Palácio dos Bandeirantes. “Não posso silenciar diante desse fato. Eu sou filho de um deputado federal cassado pelo golpe de 1964 e vivi o exílio de meu pai, que perdeu quase tudo”.

Eu continuo com o mesmo lema: ditadura nunca mais!

 

Jasson de Oliveira Andrade é jornalista em Mogi Guaçu

Previous post

Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw chega aos cinemas

Next post

Acusados der matar PM em festa têm prisão decretada