Home»Artigos»Artigo: Atentado contra Bolsonaro

Artigo: Atentado contra Bolsonaro

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O atentado contra o presidenciável Jair Bolsonaro (ele foi esfaqueado) abalou o Brasil e repercutiu mal no Exterior. Josias de Souza, no texto “Facada em Bolsonaro fere a própria democracia”, comentou: “Não é banal a facada desferida contra o presidenciável Jair Bolsonaro num ato de campanha, na cidade de Juiz de Fora. Numa época em que a política brasileira vive a tensão dos radicalismos insensatos (sic), o acontecimento fere a própria democracia. Trata-se de um momento de treva injetado num processo eleitoral que deveria representar um novo alvorecer. O fato produzirá consequências políticas. (…)

A Polícia Federal informou em nota que o agressor foi preso. Não cabe no momento outra providência senão a de apurar com rigor as circunstâncias do crime e punir o criminoso. Mesmo numa democracia debilitada, a melhor resposta para os surtos de radicalismo é mais democracia. Num regime em que as liberdades públicas são plenas, um candidato tem todo o direito de ostentar um discurso virulento (sic) sem sofrer atos de violência. (…) Até aqui, apenas Lula fazia pose de vítima na cena eleitoral. O agressor de Bolsonaro produziu uma segunda vítima no extremo oposto. A um mês das eleições, a novidade tem potencial para influir na campanha. Pode elevar a taxa de intenção de votos de Bolsonaro, estimada pelo Ibope em 22%. Mas também pode estimular o aumento do índice de rejeição do candidato (44%) se a maioria do eleitorado enxergar no episódio uma evidência de que o Brasil precisa se reencontrar com a tolerância (sic)”.

Já Kennedy Alencar, no artigo sob o título “Atentado contra Bolsonaro é grave e inaceitável numa democracia”, escreveu: “É grave o atentado de hoje [6/9] contra Jair Bolsonaro porque é uma violência que quebra as regras da disputa política numa democracia. Como disseram quase todos os adversários de Bolsonaro na corrida presidencial, trata-se de um ato inaceitável e que tem de ser condenado com veemência. (…) Ciro Gomes (PDT), com propriedade, falou em barbárie (sic). É uma expressão adequada para atos desse tipo. A polícia precisa apurar rapidamente as motivações do agressor, identificado como Adelio Bispo de Oliveira, e periciar a faca usada no atentado. (…) Nas redes sociais, há comentários de que Bolsonaro seria vítima do discurso de intolerância do qual faz uso com frequência. É um erro pensar assim. A vítima nunca deve ser responsabilizada. Bolsonaro não pode ser responsabilizado pelo atentado que sofreu. (…) Isso não significa que não possam ser criticadas ideias e declarações de Bolsonaro a respeito da política de segurança pública que estimularia mais violência (sic) no país. Um bom exemplo no dia de hoje tem sido a reação dos adversários de Bolsonaro, todas elas equilibradas e firmes na condenação do que aconteceu com o candidato do PSL nesta tarde [6/9] em Juiz de Fora (MG).”

Escrevi vários artigos contra Bolsonaro. No entanto, repudio, com veemência, o atentado que sofreu. O ódio leva, lamentavelmente, a isso!

EM TEMPO – Educação de Mogi Guaçu está de luto – Faleceu, em 8/9, o Prof. José Inocencio Monzoli, Zinho Monzoli. Ele foi diretor de escolas, principalmente da Feg (Fundação Educacional Guaçuana). Monzoli foi também diretor da Educação no governo Carlos Nelson. No governo Hélio Bueno, ocupou o cargo de Chefe de Gabinete. Trabalhou em São Paulo (governo Quércia) na FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação).

 

Jasson de Oliveira Andrade é jornalista em Mogi Guaçu

 

Post anterior

Após morte, Renovias pede cautela para pedestres e ciclistas

Próximo post

Caso Zelador: Decisão do MP deixa pais apreensivos