Home»Artigos»Artigo: A economia e a popularidade de Lula

Artigo: A economia e a popularidade de Lula

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Revendo meus papéis, deparei-me com um artigo que escrevi em 2008, sob o título que encima este texto. Resolvi republicá-lo porque alguns analistas que detestam Lula atualmente o culpam pela situação econômica em que nos encontramos. É uma análise equivocada, como veremos a seguir.

“Luiz Antonio Magalhães, no texto “Não custa repetir: é a economia estúpido…”, comenta: “Tem gente que acha que o presidente Lula é popular por causa do Bolsa Família. Claro, programas sociais ajudam. Mas o que sustenta a altíssima (sic) aprovação ao  governo de fato é a performance da economia, como se pode ler na notícia do Valor Online [taxa de desemprego cai para 9%, informa IBGE]. Alguém pode dizer: mas 9% ainda é muito. De fato, é muito. Mas é apenas a menor taxa de toda a série histórica. Depois reclamam quando Lula diz que “nunca antes neste país…”. Tem razão o jornalista. Nunca é demais recordar que nas eleições de 2002 o tema foi: “É Serra ou o Caos”. E o caos não veio (sic). Pelo contrário. A economia vai bem. É o que diz um jornal da oposição ao governo Lula, como veremos a seguir. No Editorial do Estadão (Uma pesquisa explica a outra), o jornal analisa uma pesquisa feita pelo Ipsos a seu pedido: “Mas, para mal dos pecados de Fernando Henrique e da oposição, em geral, quanto mais auspiciosos se revelam os resultados dessa política [econômica], maior se torna a hegemonia política do presidente Lula da Silva”. Adiante o jornal comenta outra pesquisa: “O IBGE revela ainda que, para a metade mais pobre dos assalariados, o ano passado [2006] foi de longe o melhor desde o lançamento do Plano Real (…) Daí Lula golear (sic)  Fernando Henrique por 80 a 9, como o presidente que apoiou os mais pobres (sic), e por 73 a 16 como o que mais elevou o poder de compra  do povo, nos percentuais da pesquisa Estado-Ipsos”. O Estadão assim conclui sua análise: “Não é à toa que a oposição está desarvorada”. Em outro Editorial, o Estadão afirma: “ O capital estrangeiro  volta a apostar pesadamente no Brasil. (…) Neste momento, nenhuma grande estatal está à venda. As motivações, segundo os analistas, são bem diferentes [da privatização da Era FHC]: a economia volta a crescer”. Não é sem motivo que Luiz Weis, em artigo no mesmo Estadão, afirma: “O Brasil vai de vento em popa – e só não vê quem não quer (sic)”. Assim concluí o referido artigo: “O caos previsto em 2002, transformou-se em bom desempenho na economia. Daí a popularidade de Lula”.

O que me surpreendeu foi os editoriais do Estadão, jornal radicalmente contra Lula. Portanto, é insuspeito em seus elogios à política econômica daquela época, muito diferente do que se diz hoje, erroneamente ou por má fé!

 

Jasson de Oliveira Andrade é jornalista em Mogi Guaçu

 

 

 

 

Post anterior

Professora é acusada de agressão e maus-tratos

Próximo post

Mães relataram agressões verbais e físicas