Home»Cidade»Aparelhos em comodato ampliam serviços no HM

Aparelhos em comodato ampliam serviços no HM

Novos equipamentos colocam serviços a altura dos melhores laboratórios da região; custo não foi revelado

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Qualidade e eficiência ampliadas com novos equipamentos são conquistas do laboratório de análises clínicas do HM (Hospital Municipal) “Dr. Tabajara Ramos”. Os aparelhos não foram comprados, mas instalados pelo regime de comodato, o que, na avaliação do superintendente do HM, José Carlos De Carli Júnior, tem inúmeras vantagens, sendo a principal delas a oferta de assistência técnica, o que já está previsto em contrato. Não foram revelados os valores destes contratos sob a alegação de que os valores pagos variam de acordo com o número de exames realizados.

Segundo De Carli, desde que a atual gestão assumiu, foram observadas muitas dificuldades com os equipamentos do laboratório porque estão obsoletos e já não davam mais conta da demanda. “Com isto, traçamos uma meta para o laboratório e fomos, aos poucos, fazendo estes investimentos”, atenta, salientando que existe o posicionamento favorável do TCE (Tribunal de Contas do Estado) sobre a sugestão do regime de comodato. Mas, antes de receber os novos equipamentos, as instalações do laboratório também tiveram de passar por algumas adequações.

Coletiva Saúde Laboratório Hospital Municipal Clara - Estela e Decarli
Clara, Estela e José Carlos

De acordo com a biomédica e coordenadora do laboratório do HM, Estela Zenari, os novos equipamentos abrangem os setores de hematologia e bioquímica, com automação dos exames de urina, de coagulação e de hormônio. “E temos ainda a implantação do sistema de controle de qualidade externo, que credita o laboratório a receber o selo de proficiência em análises clínica, o ControlLab”, detalha.

Por sua vez, a secretária municipal de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, adianta que se não tivessem iniciado estes investimentos a Pasta não teria conseguido dar conta do número de hemogramas realizados ano passado em decorrência da epidemia de dengue. Isto porque, foram realizados 54 mil exames em março de 2015 no período de surto, sendo 19 mil hemogramas.A média de exames realizada até 2012 era de 31 mil exames/mês. Este ano, a média estimada é de 41 mil/exames mensais. “São equipamentos de alta qualidade que nos deixam a altura dos melhores laboratórios da região. Muitos laboratórios privados não têm o que temos aqui, hoje”, pontua. A secretária atenta que o selo de proficiência é importante ainda para mostrar aos médicos e aos pacientes a qualidade do serviço prestado pela rede municipal. “Muitos desmerecem o resultado do serviço público e acham que o serviço privado é sempre melhor”, comenta.

 Coletiva Saúde Laboratório Hospital Municipal

REDE MUNICIPAL

O laboratório do HM recebe toda a demanda de exames solicitados pela rede municipal de saúde, o que inclui os postos de saúde, o CEM (Centro de Especialidades Médicas), o CAM (Centro de Atendimento à Mulher), VE (Vigilância Epidemiológica), entre outras. Assim, apenas 10% dos exames realizados fazem parte da demanda do HM. Sem os novos equipamentos, parte dos exames era realizada por meio de cotas do Consórcio Intermunicipal de Saúde. Além disso, alguns exames nem eram oferecidos pela rede municipal, o que é o caso do exame de hormônio.

Estela lembra que também foi adquirido um ultrafreezer, equipamento que permite o armazenamento de exames de prova e contraprova; que funciona mesmo em caso de queda de energia, o que garante a segurança e a integridade do material armazenado. “Temos equipe 24 horas no laboratório”, adianta. O setor tem 28 profissionais, incluindo o administrativo e as técnicas 24 horas.

 Coletiva Saúde Laboratório Hospital Municipal

PROJETO CEGONHA

Os exames hormonais são realizados nas suspeitas de alterações na tireoide e também marcadores tumorais no caso da oncologia. Antes estes exames eram enviados para Campinas. “É importante termos o aparelho porque o resultado mais rápido é importante para o início ou interrupção do tratamento”, observa Clara, adiantando que são realizados cerca de 800 exames/mês.

A partir de junho, Clara diz que o laboratório terá tecnologia para enviar o resultado dos exames diretamente para o sistema automatizado e que será acessado pela internet em cada posto de saúde. “Com isto evitamos imprimir os resultados de exames daqueles que não voltam para buscar, que são 30% dos pacientes. Em alguns postos, o próprio médico vai poder acessar estes exames na tela do computador do consultório”, detalha.

Com a modernização do laboratório, a Saúde segue apenas com alguns convênios oferecidos pelo Estado, seja em São João da Boa Vista ou no Instituto Adolfo Lutz. A partir da próxima semana, ocorre a licitação para o equipamento de microbiologia que permites exames, que nunca foram realizados na rede municipal e possibilitará a inclusão do Projeto Cegonha. “Em termos de quantidade de exame é pequena, mas a importância é grande porque pode detectar doenças que tratadas podem evitar o parto prematuro e infecções no bebê”, explica a secretária.

Previous post

Mogi Mirim tem dois casos positivos de chikungunya

Next post

Professor André confirma neste sábado sua pré-candidatura