Home»Cidade»Ambiente de lazer ou de problemas?

Ambiente de lazer ou de problemas?

A falta de manutenção é observada na maioria dos centros esportivos e o Poder Público cita o vandalismo

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O objetivo de qualquer centro esportivo é de incentivar, promover e executar programas que visem à ocupação racional do tempo livre do cidadão. Além disso, o local deve assegurar a participação de toda a comunidade nos programas e projetos esportivos de recreação e lazer.

Em Mogi Guaçu, existem ao menos 14 centros esportivos, mas será que todos ofertam os objetivos traçados por eles? A Gazeta percorreu os principais centros esportivos do munícipio e se deparou com uma realidade bem triste.

Em vários deles, o abandono por parte do Poder Público e a falta de manutenção dos locais colocam em risco a sobrevivência e existências dos centros esportivos. Além disso, a praça esportiva se torna um local de risco à população que reside na região. Muitos deles são habitados e frequentados por pessoas desocupadas, que utilizam o local para usar e traficar drogas. Se não bastasse o comércio e uso de substâncias ilícitas, os frequentadores ainda depredam as dependências dos centros esportivos, inviabilizando o uso por populares.

quadra centro esportivo santa terezinhaEntre os muitos problemas encontrados pela reportagem, o Centro Esportivo “Prefeito Nelson de Paulo Bueno”, o AICA, no bairro Santa Terezinha, aparece como o mais crítico. O local tem quase que todas as suas dependências depredadas. O almoxarifado, que foi incendiado por vândalos, teve suas paredes totalmente pichadas, logo após de ter recebido nova pintura.

A piscina, que poderia servir de local de lazer e recreação para os populares da região no verão, encontras-se vazia devido às várias rachaduras. Os bancos nas laterais do campo de futebol do centro esportivo também foram destruídos, além de todos os alambrados das dependências do local, que sofreram cortes e arrombamentos por parte dos vândalos.

Em contato com a secretária da SET (Secretaria de Esportes e Turismo), Patrícia Guidini, a Gazeta obteve a informação que por diversas vezes a Pasta realizou manutenção no local, mas que todas foram paliativas, uma vez que a ocorrência de vandalismo é diária. “Cansamos de arrumar alambrado, pintar os prédios e trocar cadeados. São soluções paliativas. No dia seguinte está tudo depredado. Muros pichados, cadeados cortados, além dos alambrados”, declarou a secretária.

centro esportivo sao pedroA GCM (Guarda Civil Municipal) de Mogi Guaçu realiza rondas constantes no Centro Esportivo do AICA, principalmente no período noturno, mas as ações não são capazes de evitar a depredação do local.

“Precisamos arrumar uma maneira de encerrar esta depredação no Centro Esportivo do AICA. Mas precisamos da ajuda da população na identificação dos autores. Só assim será resolvido. Do contrário, iremos apenas enxugar gelo. E quem perde com isso é a própria comunidade”, ressaltou Patrícia.

 

SEM INVESTIMENTOS

Quadra irá completar um ano interditada

Outros centros esportivos também apresentam problemas estruturais e físicos que impedem a utilização pela população. Os mais críticos são Praça da Juventude, Santa Terezinha e Camacho. No Centro Esportivo do Jardim Santa Terezinha, a quadra poliesportiva tem afixado um Termo de Interdição da Defesa Civil devido aos problemas estruturais, com risco de queda da estrutura metálica. O problema foi observado em abril do ano passado.

quadra centro esportivo santa terezinha

Na Praça da Juventude, a piscina construída por meio de um convênio com o Ministério do Esporte, nunca foi usada em decorrência de mau dimensionamento e planejamento da obra.  Segundo a secretária da SET, a casa de máquinas da piscina da Praça da Juventude está em desnível, não tem caída, além de não conter vestiários para os usuários. “A piscina da Praça da Juventude não tem estrutura para atender a população”, explicou.

Já a piscina do Ginásio de Esporte do Camacho, no Centro, está inativa há pelo menos quatro anos. O local vive com uma bomba para a retirada de água acumulada em seu piso, mas a Prefeitura não aponta qualquer solução para o problema. A água precisa ser retirada para que não haja a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

quadra centro esportivo santa terezinhaPatrícia disse que um levantamento dos problemas dos centros esportivos do município foi realizado e, posteriormente, enviado para análise da Secretaria de Obras e Viação. O objetivo é dar ciência dos problemas encontrados nos centros esportivos, com a intenção de levantar verbas para que as reformas sejam efetuadas.  “Fizemos os levantamentos nos centros e estamos aguardando agora os relatórios para verificar o que vamos conseguir em relação às reformas necessárias dos locais”, finalizou Patrícia Guidini.

OUTRO LADO

SOV não tem planejamento para manutenção

 Diante das informações repassadas pela SET, a Gazeta questionou o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli, sobre as providências que seriam adotadas em relação aos centros esportivos. Por meio da assessoria de imprensa da Prefeitura, ele pontou as providências que serão adotadas pela SOV, mas sem entrar em detalhes. Em relação à Praça da Juventude, a Secretaria ainda está analisando quais serviços terão que ser feitos para que o espaço possa ser utilizado. O grande problema é que as ações de furto e vandalismo obrigarão o município a repor toda a fiação elétrica do complexo esportivo.

praca da juventude

No Centro Esportivo do Campano, foi autorizada a troca das quatro lâmpadas queimadas. No Centro Esportivo “Nelson de Paula Bueno”, a Secretaria de Obras e Viação também analisa o que será feito em termos de melhorias.

E no Centro Esportivo do Ceresc, a SOV informa que já contratou serviço para o reparo no telhado, que apresenta goteiras e infiltrações. O Centro Esportivo do AICA, a quadra do Santa Terezinha e a piscina do Camacho não foram citados pelo secretário Salvador Franceli. 

centro esportivo camacho

Post anterior

13 dias após acidente fatal, obra recomeça

Próximo post

CML suspende licitação para construção de 244 jazigos