Home»Destaque na Home»Alex Tailândia filia-se ao PRB

Alex Tailândia filia-se ao PRB

Com a saída de Alex Tailândia, o PT perde representação na Câmara; sigla terá reunião sobre saída

4
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O vereador Alexandro de Araújo, o Alex Tailândia, deixou o PT nesta quinta-feira (1°), após desfiliar-se oficialmente da sigla. Com isso, o Partido dos Trabalhadores deixa de ter representação na Câmara, já que Tailândia era líder da bancada do PT no Legislativo. O ex-petista agora está filiado ao PRB (Partido Republicano Brasileiro) que tem como presidente Liliane Helena Barbosa Chiarelli.

Na nova sigla, Tailândia mantém sua pré-candidatura a prefeito de Mogi Guaçu nas eleições municipais de 2016 e adianta que irá assumir a presidência do PRB local. “A Lili Chiarelli será vice-presidente do partido e eu ficarei como presidente. Essa mudança faz parte do acordo que fizemos durante nossas conversas para que eu me filiasse ao PRB”, observou o vereador.

Ao deixar o PT, Tailândia assumiu o risco de perder o mandato na Câmara por infidelidade partidária, mas alega estar tranquilo e já com sua defesa preparada. Para ele, há tempos a ideologia do PT não o representa mais, principalmente após os escândalos da Operação Lava Jato que repercutem em todo o país e levou o tesoureiro do PT nacional à prisão. “Além disso, sofri perseguição política pelo próprio PT guaçuano desde o início do meu mandato, quando a direção da sigla disse que eu não representava o partido na cidade e que eu era candidato de mim mesmo. Nunca tive o apoio do PT guaçuano nem para minha candidatura, nem durante meu mandato”, explicou Tailândia.

AlexTailândia Filiação PRB e Lilli ChiarelliNo PRB, o vereador continuará fazendo oposição ao governo do prefeito Walter Caveanha (PTB) e afirmou que já tem 25 pré-candidatos do PRB a vereador, sendo 18 homens e 7 mulheres. “Já temos nosso grupo montado para tentar conquistar vagas na Câmara. A ideologia do PRB é semelhante a minha. É a mesma ideologia que norteia meu trabalho de oposição. Conversei com outras siglas que também queriam minha filiação, mas preferi ficar no PRB”, observou o vereador.

Para Lili Chiarelli, a chegada de Tailândia à sigla comprova a meta do PRB de crescer politicamente. “Antes, o PRB era considerado um partido nanico. Hoje, não somos mais vistos assim. O PRB já conquistou um espaço significativo na política nacional e vamos crescer mais ainda. Por isso, estamos satisfeitos com a filiação de Tailândia e sua pré-candidatura a prefeito”, disse.

Atualmente, o PRB tem 8 deputados federais, entre eles, Celso Russomano, e 4 estaduais, entre eles, Sebastião Santos.

AlexTailândia Filiação PRB

PT

O presidente do PT guaçuano, Alceu Kemp, o Galo, apenas limitou-se a dizer que irá reunir-se com a Executiva Municipal da sigla e demais integrantes do diretório local para definir os rumos do partido para as eleições municipais do ano que vem. A reunião entre eles será realizada na próxima terça-feira (6).

INFIDELIDADE PARTIDÁRIA
PT tem 30 dias para pedir vaga de Tailândia

Sem o vereador Alex Tailândia no partido, o PT perde representação política na Câmara. Após cerca de 20 anos sem eleger vereadores petistas em Mogi Guaçu, a sigla havia revertido a situação nas eleições municipais de 2012, quando conseguiu eleger dois candidatos: Jéferson Luís e Alex Tailândia, ambos pelo PT. Em outubro de 2013, Jéferson Luís deixou o Partido dos Trabalhadores para assumir o PROS, criado naquela ocasião e, agora, Tailândia também deixa o PT para migrar para o PRB, que tem influência direta na bancada evangélica em âmbito nacional.

Jéferson aproveitou a criação do PROS para deixar a sigla petista e assim não perder o mandato como vereador, já que estava amparado pela legislação eleitoral que permite a troca de legenda no caso da criação de novos partidos. Já Tailândia não está livre de perder o mandato na Câmara por causa da lei federal que trata da infidelidade partidária. Ele entregou sua desfiliação à presidência do PT guaçuano nesta quinta-feira (1°) e, a partir desta data, a Executiva Municipal do partido tem 30 dias para pedir judicialmente a vaga de Tailândia como vereador. Caso a direção do PT não tome essa atitude dentro do prazo de um mês, o suplente direto de Alex Tailândia poderá fazê-lo, bem como o Ministério Público. Para isso, há prazo de mais 30 dias, ou seja, Alex terá que aguardar 60 dias para saber se terá – ou não – que apresentar sua defesa junto ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo. “Minha defesa já está pronta e muito bem argumentada. Estou tranquilo e respeito o direito deles de tentarem retomar o mandato do PT na Câmara”, disse Alex.

Vale lembrar que o suplente direto de Tailândia, nesta Legislatura, é o professor Edson Domingues, ex-PRTB. Como ele deixou a sigla para filiar-se ao PSD local, a suplência está com o comerciante Carlos Eduardo Ferrari (PT). No entanto, se Tailândia perder o mandato em 1ª instância, ele ainda poderá recorrer junto ao Tribunal Regional Eleitoral com efeito suspensivo da primeira decisão, ou seja, enquanto o processo estiver tramitando Tailândia poderá prosseguir exercendo o mandato de vereador.

Post anterior

Rapaz é morto dentro de bar em Mogi

Próximo post

Conta Tudo por Beto Amorim