Home»Destaque na Home»Adolescentes acusam agenciador de estupro

Adolescentes acusam agenciador de estupro

Os meninos que sonham com uma carreira como jogador de futebol foram trazidos de Manaus e fizeram a denúncia

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Dois adolescentes, ambos de 15 anos, denunciaram um agenciador de estupro. Os meninos são natural de Manaus (AM) e foram trazidos para Mogi Guaçu pelo agenciador com a promessa de jogar num time de futebol. O caso segue em segredo de Justiça e já é investigado pela polícia. A Promotoria da Vara da Infância e Juventude também acompanha o caso, assim como o Conselho Tutelar. O agenciador em questão também veio de Manaus.

Além dos dois adolescentes que fizeram a denúncia, o agenciador teria trazido para a cidade outros três meninos amazonenses e todos com a mesma promessa: um futuro como jogador num time profissional.

Pela denúncia, os meninos teriam sido abusados na casa em que moravam junto com o acusado que veio para Mogi Guaçu com o objetivo de treinar os adolescentes que participavam de campeonatos e dos popularmente conhecidos “peneirões”.

Para evitar casos como esse, o Conselho Tutelar, a SET (Secretaria de Esportes e Turismo) e as escolas estaduais firmaram uma parceria, há cerca de um mês. O objetivo é ficar por dentro da vinda de cada adolescente que chega à cidade com a finalidade de treinar futebol e que sonham com uma carreira de sucesso.

Com isso, ações preventivas serão realizadas em conjunto, a fim de evitar que os meninos sejam alvo de violação de direitos se tornando vítimas de negligência, evasão escolar, maus-tratos e até mesmo abuso sexual.

Parceria foi firmada
Parceria foi firmada

O conselheiro Adilson Almeida explicou que tanto as escolas quanto a SET vão passar a informar o Conselho quando identificarem casos de adolescentes vindos de outros locais e que não são, por exemplo, matriculados em uma escola. “Com isso, vamos fazer uma checagem e acompanhar o processo da vinda desse menor de idade e em quais condições ele está vivendo na cidade”.

O conselheiro ainda informou que o Conselho Tutelar exige das escolas de futebol e de treinadores sazonais documentações registrados em Cartório que comprovam que os meninos, que na maioria dos casos são de outros Estados e até mesmo outros países, estão devidamente documentados na cidade. O responsável deve possuir uma procuração assinada pelos pais ou por um guardião, uma declaração de que ele está matriculado em uma escola e que garante a ele uma assistência médica e boas condições no alojamento.

Vale lembrar que as famílias dos adolescentes que vêm para Mogi Guaçu para participarem de campeonatos interestaduais e tentarem serem vistos por olheiros da região contribuem com um valor mensal ao responsável (agenciador/treinador).

 

Post anterior

Moto de porte grande é encontrada abandonada em matagal

Próximo post

Julia Braga conquista título do Campeonato Brasileiro