Home»Destaque na Home»Acusados der matar PM em festa têm prisão decretada

Acusados der matar PM em festa têm prisão decretada

O crime ocorreu na última segunda-feira (29) durante a festa de peão de Itapira; os acusados foram presos no mesmo dia

0
Shares
Pinterest WhatsApp

Todos os sete acusados pela participação no assassinato do policial militar Alan de Souza Melo e pelo roubo de um malote já foram encaminhados para o sistema prisional. Eles tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça. Pelo menos quatro deles são moradores de Mogi Guaçu.

O policial militar morreu baleado após uma troca de tiros na madrugada da última segunda-feira (29) por volta das 2h30, durante o roubo de um malote de dinheiro da praça de alimentação da festa de peão de Itapira. Os acusados foram presos no mesmo dia do assassinato após um trabalho de investigação feito em conjunto pela Polícia Militar e pela Polícia Civil.

Bruno Malagueta, de 24 anos, e a namoradora dele, Mary Ellen Adorno, de 19 anos, foram presos logo após o homicídio. Malagueta, morador do Jardim São Pedro, passou por cirurgia no hospital de Itapira, mas teve alta médica na quinta-feira (1º) e já foi encaminhado ao presídio de Americana. Já Mary Ellen é moradora no Jardim Ypê VIII e também teve a prisão preventiva decretada, assim como os demais acusados. Todos por latrocínio- roubo seguido de morte.

Caso Pm Morto Itapira Envolvidos PresosO delegado Anderson Lima informou à Gazeta que a investigação foi iniciada logo após o registro da ocorrência. Segundo ele, os policiais buscaram imagens que pudessem auxiliar na identificação dos outros suspeitos que participaram do roubo ao malote. E, no final da tarde da segunda-feira, outras cinco pessoas foram presas, sendo quatro em Aguaí e uma em Estiva Gerbi. São quatro homens e uma mulher. Foram detidos Vitor Eduardo Alves, de 19 anos, Lucas de Souza Ferreira, de 19 anos, Nathalie Maria Ferreira Eduardo, de 19 anos, Felipe Ferreira, 20 anos, e Leonardo Augusto Teixeira, de 24 anos.

Após a morte do policial, a polícia apresentou o revólver calibre 32 que foi usado na troca de tiros. Vitor Alves foi levado até a área do recinto da festa e mostrou onde estava a arma do crime, um revólver calibre 357, de uso restrito das forças policiais.

O delegado Anderson Lima decretou a prisão de todos os envolvidos e comentou que conhecia o soldado Melo, que era uma pessoa que se destacava pelo trabalho desenvolvido junto à Polícia Militar. “Era uma pessoa diferenciada e comprometida com o trabalho”, comentou.

Pelas investigações, Bruno Malagueta e Vitor Eduardo Alves foram os que atiraram no policial. Já o tiro que matou o policial teria sido efetuado por Alves. Agora, caberá à Promotoria e, posteriormente à Justiça, avaliar a participação dos demais indiciados no crime.

Caso Pm Morto Itapira Envolvidos Presos

Com relação ao malote roubado na festa, a Polícia Civil informou que o valor de R$ 80 mil foi registrado no Boletim de Ocorrência, mas que com os acusados foram recuperados R$ 1.500,00.

Caso Pm Morto Itapira Envolvidos Presos

bruno e mary caso pm morto itapira envolvidos presos

LUTO

PM Melo deixa esposa grávida

 Allan de Souza Melo tinha 29 anos e estava na Polícia Militar de Itapira há cerca de quatro anos. O policial estava de folga, mas notou a ocorrência do assalto e tentou prender os assaltantes. Houve reação e teve início a troca de tiros.

O enterro do policial militar aconteceu na terça-feira (30) na cidade mineira de Bandeira do Sul. Ele deixou a esposa grávida.

A organização do evento informou que o crime ocorreu em um momento que já não havia mais seguranças no local. Afirmou que durante a festa, a revista foi feita, mas que na hora do assalto o trabalho já havia terminado.

Soldado Melo
Soldado Melo

O comando do 26° Batalhão de Polícia Militar do Interior (26º BPM/I) divulgou uma nota em que lamenta a perda do PM Melo. “Perdemos mais um herói e isso não tem mais volta. Um herói que cumpriu o juramento de sacrificar a própria a vida para proteger as pessoas. O que nos restou foi amparar a família neste momento de perda do jovem Policial Militar e pedir a Deus que conforte o coração de todos”.

A nota foi assinada pelo comandante interino, major Antonio Roberto Catossi Júnior, e ele agradece o empenho dos policiais durante a ocorrência. “Minha gratidão aos nossos policiais militares do 26° Batalhão de Polícia Militar do Interior (26º BPM/I) que, cumprindo a lei, agiram com maestria nas diligências e prisões dos facínoras que ceifaram a vida de nosso irmão, demonstrando trabalho em equipe, profissionalismo e solidariedade. Agradeço, também, o apoio dado pelas Guardas Civis Municipais de Itapira e Mogi Guaçu e à Polícia Civil de Itapira pela presteza neste momento de dor. É uma honra pertencer a esta comunidade para a qual trabalho”, trouxe trecho da nota.

Previous post

Artigo: Bolsonaro e a Ditadura (Tortura)

Next post

Jardim dos Lagos: proposta é ampliar a participação voluntária