Home»Opinião»Tome Nota da edição do dia 13

Tome Nota da edição do dia 13

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

 Bravos

O ex-prefeito Hélio Miachon Bueno (PMDB) pode ser um dos mais recentes desafetos dos servidores públicos municipais. Isso porque, centenas deles não gostaram nada de saber que Hélio não paga o que deve ao município referente ao caso Ibrapp no valor aproximado de R$ 17 milhões. “O ex-prefeito não paga porque a Prefeitura não cobra”, dizem os servidores que estão sentindo na pele as consequências da falta de dinheiro no caixa da Prefeitura.

 

Desafios

O presidente da Câmara de Mogi Guaçu, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), mal saiu da polêmica da votação do projeto de lei que mudou os rumos nos pagamentos dos precatórios pela Prefeitura e já vai retomar outro imbróglio que também terá de ser resolvido na próxima semana. Trata-se da assinatura do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) proposto pelo Ministério Público local. Zanco já tem de decidir se assinará ou não o documento. 

 

Só rolo

Se ele assinar o TAC terá de exonerar um assessor parlamentar de cada um dos 11 vereadores que atualmente mantêm dois assessores, além de ter de retirar o pagamento da FG (Função Gratificada) dos funcionários que possuem este benefício. “Não está sendo fácil, não. São muitas decisões difíceis para serem tomadas num curto espaço de tempo”, lamentou o presidente da Casa de Leis. O prazo para Zanco decidir se assinará ou não o TAC termina no próximo dia 20.

 

Reeleito

O PT de Mogi Guaçu realizou o PED (Processo de Eleições Diretas), no último domingo (9). A votação reelegeu o atual presidente do PT guaçuano, Alceu Kemp, o Galo. Ele disputou o PED com chapa única, ou seja, não havia concorrente. Agora, a principal meta de Kemp é fortalecer o PT na cidade e aumentar o número de filiados. O mandato de Kemp à frente da sigla terá duração até 2019.

Post anterior

Prefeituras atrasam repasse e salário é pago com atraso

Próximo post

Projeto é desenvolvido na Emef “Maria Diva”