Home»Destaque na Home»Jogadores são deixados sem alimentação em alojamento

Jogadores são deixados sem alimentação em alojamento

Mais uma vez, o agenciador Jonas César de Oliveira é acusado de deixar os jovens em condições precárias e sem alimentação

34
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O presidente do Independente Futebol Clube de Mogi Guaçu, Jonas César de Oliveira, está novamente sendo acusado de estelionato por agenciar jogadores com a promessa de atuarem em campeonatos. Mas até ontem (19), o Clube não estava inscrito na Liga Paulista de Futebol nem mesmo os 20 atletas que estavam em alojamento improvisado no antigo Clube da Chiarelli, na Vila Champion. A situação se agravou no final do dia, pois a energia elétrica do local foi desligada por falta de pagamento. 

A reportagem chegou ao alojamento quando o treinador Cassius Manga estava se despedindo dos jogadores após ser dispensado. Ele estava no Clube há 70 dias. Ele estava preocupado com alguns atletas que trouxe da região Nordeste que foram dispensados e não tinham recursos financeiros para voltar para casa.

denuncia jogadoresOs jogadores, todos acima de 18 anos, vieram para Mogi Guaçu com a promessa de participarem de campeonatos que serviriam de ‘vitrines’. Eles treinavam e jogariam nos campeonatos em troca de alojamento e comida. As atletas disseram que assinaram um contrato de cinco anos com Jonas.

Na tarde de terça-feira (18), os atletas conseguiram ratear a comida e no final do dia Jonas apareceu com macarrão para o jantar. Mas, segundo informado à Gazeta, ele não havia dado certeza se voltaria porque não tinha dinheiro para manter mais os atletas no Clube. “Se ele não tem dinheiro para nos manter com comida como teria para nos manter nos meses de campeonato?”, questionou um dos jogadores.

O pai de um atleta, José Antônio Gimenez Maia, havia chegado com o filho de Bauru, onde foi passar a Páscoa com a família. Ele disse que havia pagado R$ 400 de avaliação para o filho entrar no clube e depois mais R$ 2.700 para a inscrição na Liga de Futebol. Mas soube que não há inscrição nenhuma efetivada. Ele levou o filho de volta para casa desapontado. “Ficamos sem chão. Fui cobrar o que havia pagado e ele disse que estava esperando entrar mais dinheiro para registrar todos de uma vez. Meu filho deixou a faculdade porque tem o sonho de ser jogador e como é único decidi tentar”.

denuncia jogadores

Dívidas

O administrador do Clube da Chiarelli, Dener Kemp, arrendou parte da área para o Independente Futebol Clube por seis meses. Mas está há três sem receber os R$ 2.700 de aluguel do espaço, além das contas de energia e água em atraso. “Inclusive já há uma ordem de despejo para ele tirar o Independente Clube daqui”.

Como a administração da área de lazer abriu um bar para os frequentadores do Clube da Chiarelli, Jonas foi orientado a retirar os adolescentes do local. Ele transferiu o alojamento dos adolescentes para a região das Piteiras, em Mogi Mirim.

 

Novamente

A primeira denúncia contra o presidente do Independente Futebol Clube de Mogi Guaçu, Jonas César de Oliveira, foi em 2013. Na ocasião, ele mantinha 30 atletas em más condições de alojamento em uma residência no Jardim Centenário. Além da ‘improvisação’ do alojamento, não havia comida suficiente.

Pai de um dos jovens
Pai de um dos jovens

Em agosto do ano passado, ele voltou a ser denunciado no Conselho Tutelar e na Visa (Vigilância Sanitária), após um comunicado do Ministério Público do Trabalho de Campinas para verificar as condições do alojamento que ficava na sede do antigo Clube da Chiarelli. Lá havia 30 jovens, inclusive adolescentes. Na época foi apurado que nem todos tinham comprovante de frequência escolar, documento pessoal ou autorização dos pais ou responsáveis para estar morando na sede do Independente. Havia ainda suspeita da falta de um cardápio alimentar nutricional adequado às atividades, uma vez que a alimentação não estaria sendo fornecida aos sábados.

Na ocasião, o presidente do Independente negou qualquer irregularidade no contrato com os jogadores. Jonas disse que o Clube é registrado legalmente desde o mês de maio de 2016.

 “Não tem denúncia de nada. Não tem nada irregular. O Independente Futebol Clube é profissional e quer tudo regulamentado dentro da lei”, respondeu Jonas à época.

denuncia jogadores

CADÊ A FISCALIZAÇÃO?

Agenciador atua na cidade sem ser incomodado

 Jonas
Jonas

O presidente do Conselho Tutelar de Mogi Guaçu, Adilson Almeida, informou, por meio de nota, que acompanha as denúncias envolvendo o Independente Futebol Clube de Mogi Guaçu desde 2013, encaminhando diversos ofícios para o Ministério Publico, Ministério Publico do Trabalho de Campinas, Vigilância Sanitária e Gabinete do prefeito. Referente às denúncias feitas nesta semana, Almeida informou que já comunicou o Conselho Tutelar de Mogi Mirim por conta dos menores de idade.  

Em janeiro, a Vigilância Sanitária (Visa) realizou nova inspeção no alojamento com o objetivo de verificar o cumprimento da Notificação em que foram solicitadas adequações referentes à infraestrutura e também a alguns documentos. Dentre as exigências cumpridas estavam sabonete líquido para os sanitários, lixeira com tampa e pedal e pintura dos quartos do alojamento e a retiradas beliches e colocadas camas.

Quanto ao serviço de alimentação, nas inspeções realizadas foi constatado alimentação em quantidade suficiente. Porém, o serviço não estava licenciado pela Visa de Mogi Guaçu.

A empresa, então, protocolou solicitação de emissão de licença, cujo processo tramita na SPDU (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano). Diante da denúncia, a Secretaria enviará fiscais para nova vistoria no local e notificará a empresa para regularização da atividade. Apesar das adequações terem sido providenciadas quase em sua totalidade, no mês passado foi lavrado o Auto de Imposição de Penalidade estabelecendo a penalidade de prestação de serviços à comunidade – o Independente Futebol Clube deverá providenciar a confecção de 500 folders contendo mensagens de combate à Dengue.

Até o fechamento da edição, o Ministério Público do Trabalho, em Campinas, por onde corre um processo investigatório, e o Ministério Público de Mogi Guaçu não se manifestaram acerca da denúncia.

Treinador foi dispensado
Treinador foi dispensado

Futuro

A Gazeta não encontrou Jonas nas duas vezes em que esteve no Centro de Treinamento e os telefones de contato estavam fora de área.

O administrador do Clube da Chiarelli, que foi arrendado para o Independente, Dener Kemp, fez reunião na tarde de ontem (19) com Jonas César de Oliveira. A intenção é que ele entregue toda a documentação do Independente e dos atletas para que Dener e o empresário José Modesto Júnior possam continuar com os jogadores e com novo time inscrevê-los nos campeonatos.

“Ele falou mesmo para nós que não tem mais dinheiro e dispensou os meninos, mas eles não tem dinheiro nem para a passagem. Demos para ele um prazo até essa quinta-feira (20), último dia para fazermos as inscrições nos campeonatos paulistas de futebol”.

Desde ontem os atletas estão sendo alimentados com recursos pagos pelos empresários Dener Kemp e José Modesto Júnior.

denuncia jogadores

Post anterior

Mulher joga droga na privada durante prisão do marido

Próximo post

Após feriados, Tela Viva retoma sessões