Home»Política»Grupo petista se organiza para apoiar Lula

Grupo petista se organiza para apoiar Lula

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O PT de Mogi Guaçu está organizando um grupo – mesmo que pequeno – para ir até Curitiba/PR, a fim de prestar apoio ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), que irá depor ao juiz federal Sérgio Moro pela Operação Lava Jato. Os petistas irão sair de Mogi Guaçu rumo a Campinas e de lá para Curitiba na noite desta terça-feira (9).

De acordo com o presidente do PT guaçuano, Alceu Kemp, o Galo, a atitude é democrática e não há sequer intenção de causar tumultos. “Já está decidido dentro do PT. Sempre que um dos nossos estiver na berlinda, iremos nos unir para apoiá-lo e defender o partido. Mexeu com o Lula, mexeu com a gente também”, frisou Kemp lamentando não poder ir até Curitiba devido aos compromissos de trabalho.

Kemp foi reeleito presidente do PT local, em abril, após atingir a porcentagem necessária durante o PED (Processo de Eleições Diretas). Uma de suas principais metas é ajudar a sigla a reconstruir o PT em todo o país. Ciente de que a tarefa é difícil mediante todas as acusações que estão vindo à tona com a Operação Lava Jato, Kemp acredita que esse é o momento mais difícil que o PT já passou. “Agora é reconstruir. Temos dois projetos que vão nos ajudar nessa tarefa. Um deles são essas reformas que estão por vir. A população está começando a entender que será a mais prejudicada e o PT vai lutar para defender o povo nessa questão”, explicou Kemp.

Ele ainda ressaltou que não teme confrontos partidários em Curitiba, mas admite que é uma situação imprevisível. “Estão organizando as separações dos grupos partidários, mas sabemos que uma ofensa ou outra sempre acontece. Não estamos indo para lá para ofender ninguém nem para tumultuar. Estamos exercendo nossa democracia”, justificou.

No processo em que será interrogado nesta quarta-feira (10), o ex-presidente é acusado de receber propina em três contratos da OAS com a Petrobras. Ele nega as acusações. A propina, de acordo com o Ministério Público Federal, se deu por meio da reserva e reforma de um apartamento tríplex, no Guarujá, litoral de São Paulo, e do custeio do armazenamento de bens do ex-presidente.

Em outra ação penal oriunda da Lava Jato, que também corre na Justiça Federal do Paraná, Lula é acusado pelo MPF de receber como propina um terreno onde seria construída a nova sede do Instituto Lula e um imóvel vizinho ao apartamento do petista, em São Bernardo do Campo (SP).

Conforme a força-tarefa da Lava Jato, esses imóveis foram comprados pela Odebrecht em troca de contratos adquiridos pela empresa na Petrobras. Lula responde neste segundo processo por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Post anterior

Golpista se passa por funcionário de banco

Próximo post

Comerciante é baleado no Parque Cidade Nova