Home»Cidade»Greve: Sindicatos articulam ações para o dia 28

Greve: Sindicatos articulam ações para o dia 28

Ideia é unir forças e promover paralisações de vários setores; ações serão definidas em reunião na próxima segunda-feira

5
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Um dia de greve geral é articulada para 28 de abril. Esta semana, representantes de Sindicatos locais se reuniram para alinhavar as ações locais. Isto porque, a ideia é paralisações em âmbito nacional por meio dos Sindicatos. A iniciativa partiu do Sindicato dos Condutores de Mogi Guaçu e Região que, aliás, ofereceu a sede para o encontro realizado na manhã desta terça-feira (18). O protesto é contra as Reformas da Previdência e Trabalhista. 

A reunião contou com a participação de representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itapira, Sindicato dos Ceramistas de Mogi Guaçu e Região, Sindiçu (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais), Sindicato dos Empregados no Comércio de Mogi Guaçu e Região, Sindicato da Alimentação de Mogi Mirim e Região, Sindicato dos Papeleiros de Mogi Guaçu e Sindicato dos Condutores de Mogi Guaçu e Região.

Gessy
Gessy

O presidente do Sindicato dos Condutores, Gessy Alves, explicou que a proposta era unir todos, independentemente de qual central sindical pertençam em torno de um mesmo propósito. “Queremos mostrar que não aceitamos as reformas”, disse. Um dos assuntos mais debatidos foi a terceirização que, na avaliação dos sindicalistas, representa um retrocesso para os trabalhadores, assim como outros pontos da reforma trabalhista.  

O diretor do Sindicato dos Ceramistas, Jair Silvestre, observou que a categoria já enfrenta problemas gerados com a terceirização e sabe muito bem o quanto são prejudiciais à classe trabalhadora. “A empresa principal pega a obra e distribui o serviço para os chamados “gatos”, que são os terceirizados que, por sua vez, não pagam os direitos dos trabalhadores”, detalhou.

Para os sindicalistas, a Reforma da Previdência será o tiro de misericórdia no trabalhador, após tudo o que virá com a Reforma Trabalhista. Por isso, analisam que é preciso mostrar que existe o desejo de representar a classe trabalhadora de Mogi Guaçu, “reivindicando em nome deles e junto com eles”.

A intenção é paralisar vários segmentos no decorre do dia 28 de abril, mas os acertos finais das ações serão definidos em reunião na próxima segunda-feira (24). Uma das propostas é parar o transporte e fazer bloqueios nas rodovias.

Post anterior

Curtas: Mulheres são agredidas e socorridas ao PPA

Próximo post

Dois são baleados após roubo em Martinho Prado