Home»Cidade»“Franco Montoro” recebe nota baixa do MEC

“Franco Montoro” recebe nota baixa do MEC

O IGC é o indicador oficial de qualidade do ensino superior no Brasil; em índice de 1 a 5, instituição ficou com nota 2

4
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Das 2.109 instituições de ensino superior avaliadas pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacional Anísio Teixeira), vinculado ao MEC (Ministério da Educação), 313 tiveram avaliação insatisfatória medida por meio do IGC (Índice Geral de Cursos). Nesta listagem surge o nome da FMPFM (Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro”) com 1,36 no IGC (Contínuo) e 2 no IGC (faixa). A avaliação é referente ao ano de 2015 e abrange cinco cursos.

O IGC é o indicador oficial de qualidade do ensino superior no Brasil. O índice vai de 1 a 5 e as notas na faixa 1 e 2 indicam desempenho insatisfatório. De acordo com informações do site do INEP, como o IGC considera o CPC (Conceito Preliminar de Curso) dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores, sua divulgação refere-se sempre a um triênio.

Além disso, compreende todas as áreas avaliadas previstas no Ciclo Avaliativo do Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) que consiste na avaliação periódica dos cursos de graduação, com referência nos resultados trienais de desempenho de estudantes. Esses dados subsidiam, respectivamente, os atos de recredenciamento e para nortear políticas de expansão e financiamento da Educação Superior.

No último triênio foram avaliados cursos de administração, administração pública, ciências contábeis, ciências econômicas, design, direito, jornalismo, psicologia, publicidade e propaganda, relações internacionais, secretariado executivo, tecnologia em comércio exterior, tecnologia em design de interiores, tecnologia em design de moda, tecnologia em design gráfico, tecnologia em gastronomia, tecnologia em gestão comercial, tecnologia em gestão de qualidade, tecnologia em gestão de recursos humanos, tecnologia em gestão financeira, tecnologia em gestão pública, tecnologia em logística, tecnologia em marketing, tecnologia em processos gerenciais, teologia e turismo.  

 

OUTRAS

Com nota 3, portanto, satisfatório pela avaliação do INEP/MEC, estão as FIMI (Faculdades Integradas Maria Imaculada), o IESF (Instituição de Ensino São Francisco) e a Famoesp (Faculdade Mogiana do Estado de São Paulo).

 

INSTITUIÇÃO MUNICIPAL

“Franco Montoro” considera avaliação do Conselho Estadual de Educação

“O único vínculo da Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro” com o Ministério da Educação, para efeito de avaliação, deve-se em razão do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), pelo que a instituição tem de participar do Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes)”, traz a nota emitida pela assessoria de imprensa da Prefeitura sobre os dados do INEP/MEC sobre as Instituições de Ensino Superior.

Márcio
Márcio

O argumento é de que, como instituição municipal de ensino superior, a “Franco Montoro” é efetivamente avaliada pelo CEE (Conselho Estadual de Educação) para todos os efeitos, em especial a qualidade de ensino. Foi informado ainda que na mais recente avaliação pelo CEE, a “Franco Montoro” alcançou nota 4, de um máximo de 5, desempenho este que se deve à manutenção de todos os cursos, tendo, inclusive, resultado, este mês, no recredenciamento do curso de engenharia ambiental por mais 5 anos.

A nota lembra ainda que a avaliação feita pelo MEC não é realizada “in loco”, ao contrário da avaliação pelo CEE. “Por esse motivo, o diretor da “Franco Montoro”, Márcio Antonio Ferreira, e o CEE têm feito gestões para que o MEC considere o parecer do Conselho para efeito de uma avaliação completa e condizente com a realidade da instituição”, prossegue a informação.

Quanto ao questionamento de que a nota 2 no INEP/MEC poderia prejudicar a implantação do curso de medicina, a assessoria de imprensa ratificou que a aprovação depende do CEE. Inclusive, nesta quarta-feira (14) o prefeito Walter Caveanha (PTB) e o diretor da “Franco Montoro” foram ao CEE para tratar de mais uma etapa dos trâmites necessários para o novo curso. Além de medicina, há processos em andamento para a implantação de outros dois novos cursos: pedagogia e música. (CHSM com informações da assessoria de imprensa da Prefeitura)

Post anterior

Tome Nota de sábado, dia 17

Próximo post

Santo Antônio: o bolo mais tradicional de junho