Home»Cidade»Evento cultural é orçado em R$ 1,3 milhão

Evento cultural é orçado em R$ 1,3 milhão

Organizadores apresentaram projeto aos empresários na última quinta-feira (11); cotas a partir de R$500

1
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Mandi Festival de Música Livre de Mogi Guaçu. Este é o nome do projeto cultural apresentado na manhã de quinta-feira (11) ao empresariado local pelo prefeito Walter Caveanha (PTB) e pelo produtor e também empresário Fred Rossi. A reunião foi realizada na Acimg (Associação Comercial e Industrial de Mogi Guaçu). O evento cultural é orçado em pouco mais de R$ 1,3 milhão. Daí o porquê da apresentação aos empresários, visto que a viabilização depende deste apoio por meio da aquisição de cotas com valores de R$ 500 a R$ 280 mil.

A proposta é que o festival aconteça de 6 a 12 de janeiro de 2017, após o Natal Luz, com atividades no Parque dos Ingás, no prédio da antiga Estação Ferroviária e no Teatro Tupec do Centro Cultural. As principais atrações seriam Toquinho, Elba Ramalho, João Bosco, Kleiton e Kledir e Rolando Boldrin. O objetivo é atrair o público regional. Outra possibilidade é arrecadar recursos por meio das leis de incentivos fiscais.

Fred Rossi
Fred Rossi

Caveanha explicou que o festival de música é o resultado de ações realizadas há mais de 40 anos junto à Corporação Musical Marcos Vedovello, passou pela criação de novos braços na instituição, incluindo as bandas marciais, e resultará na conquista da Faculdade de Música que pretende viabilizar por meio da FMPFM (Faculdade Municipal Professor Franco Montoro). “A música mexe com o intelecto, faz com que a criança tenha mais condições de aprendizado”, argumentou observando que o Conselho Estadual da Educação visitará a FMPFM e toda estrutura cultural do Município. Isto seria apenas uma das metas para viabilizar o novo curso.

O festival de música, como o próprio Caveanha mencionou, seria a cereja do bolo deste empenho de voltar Mogi Guaçu à música e fazer disto até mesmo um investimento na área de turismo. “Faltava alguém para coordenar este festival e tive a sorte de conhecer Fred Rossi que foi empresário de Toquinho e de Vinicius de Moraes”, disse referindo-se ao irmão do vice-prefeito Daniel Rossi (PR). Por sua vez, o produtor apresentou ao empresariado detalhes do evento e disse ter se encantando com a Corporação Musical, após assistir a uma apresentação realizada no final do ano.

 

PRODUÇÃO

Incumbido pelo prefeito em realizar o festival, Rossi disse que pretende fazer com que a cidade respire música durante todos os dias do festival. A ideia é que os músicos/alunos da Corporação Musical se apresentem com Toquinho e que haja participação de outros músicos da região em vários momentos durante a semana do festival. Uma das ações seria a oficina de música com Kleiton & Kledir que culminaria na apresentação de composição dos alunos, juntamente com os artistas, sendo apresentada ao público.

festival musica mandi prefeito walter caveanha

“Temos planos A, B e C que dependerão do volume de dinheiro que tivermos para investir, mas queremos fazer o melhor possível”, pontuou Rossi reforçando que os músicos/alunos da Corporação se apresentem em ao menos uma música com cada um dos cantores que estarão no festival. À frente, o produtor pretende formar pequenos grupos para se apresentarem com estes cantores. Rossi também espera que o festival entre no calendário nacional dos festivais, o que disse depender apenas de um trabalho sério.

 

OUTROS

Caveanha disse que fará licitação para instalação da concha acústica no palco dos Ingás, o que permitirá a realização não apenas do festival como de outros eventos. Também adiantou que abrirá licitação para instalação de um mandi, ornamento que será instalado no Parque dos Ingás.

Post anterior

Empresários anunciam UniMogi

Próximo post

Policiais da DISE encontram cocaína escondida em forro