Home»Cidade»Elevatórias de esgoto serão eliminadas

Elevatórias de esgoto serão eliminadas

A licitação será realizada ainda neste mês e o objetivo é eliminar as despesas com energia elétrica

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto) dará prosseguimento às obras da rede de esgoto na região central. O objetivo é o prolongamento do interceptor de esgoto da margem direita do Rio Mogi Guaçu para eliminação da estação elevatória existente na Chácara São João. A licitação será realizada ainda neste mês.

O objetivo da obra é de eliminar as despesas com energia elétrica da estação elevatória, a partir da desativação. Além disso, irá possibilitar a desocupação da área para futura implantação de ponte sobre o Rio Mogi Guaçu. Haverá obras também à Rua Siqueira Campos, visando desativar ainda a elevatória do Parque dos Ingás, acabando com o mau cheiro no local.  

“A nova ponte vai passar em cima da elevatória, mas antes mesmo destes contatos do prefeito em Brasília para a obtenção de recursos e da capacidade de endividamento do município, já tínhamos o projeto de eliminar a elevatória. Queremos eliminar todas que pudermos porque evita gastos com energia e ainda a ocorrência de furtos”, explica o superintendente do Samae, Elias Fernandes de Carvalho. 

estacao elevatorio esgoto vila sao joaoO atual sistema é composto por extensas redes coletoras de esgoto, coletor tronco, sete elevatórias de esgoto que interceptam os lançamentos dos efluentes coletados nas sub-bacias e uma ETE (Estação de Tratamento de Esgoto). A estação elevatória da Chácara São João fica à Rua Marcos Vedovello com a travessa Bernardino Ribeiro.

A estimativa é de que estação elevatória de esgoto da Chácara São João seja desativada quando forem executadas as obras do prolongamento do interceptor de esgoto da margem direita do Rio Mogi Guaçu. Por sua vez, a estação elevatória de esgoto do Parque dos Ingás será desativada quando for feita a interligação do emissário da Rua Paula Bueno no coletor tronco da Rua Siqueira Campos. O emissário possui 1.420 metros de extensão.

Sem o uso de energia elétrica, os efluentes serão conduzidos por gravidade para os poços de visita. “A ideia é também tirar a estação de esgoto da Bertioga. Já tiramos a existente no Jardim Novo”, pontua Elias.

Post anterior

Obra de USF deve ser concluída nesse mês

Próximo post

Testemunha segue ladrões e liga para PM